VOCÊ PAGA: SENADORES TORRAM DINHEIRO EM AUTOPROMOÇÃO, VIAGENS, RESTAURANTES, CORREIOS.

VOCÊ PAGA: SENADORES TORRAM DINHEIRO EM AUTOPROMOÇÃO, VIAGENS, RESTAURANTES, CORREIOS.

Quem analisa a página de transparência do Senado Federal pode imaginar que os senadores têm poucos gastos com divulgação do mandato. Foram R$ 2 milhões em 2019 – o equivalente à metade da despesa com escritórios (R$ 3,8 milhões) e muito menos do que gastam com passagens aéreas (R$ 7 milhões). Na verdade, a maior parte das despesas com divulgação (R$ 4,1 milhões) está camuflada no item “Serviços de apoio ao parlamentar”. No total, são R$ 6,2 milhões torrados em autopromoção.

A gastança com a cota para o exercício da atividade parlamentar – o “cotão” –  somou R$ 23,3 milhões no ano passado. Fora da cota, os senadores ainda gastaram mais R$ 1,9 milhão com viagens internacionais, a mesma quantia com correios e R$ 400 mil com material de consumo. Ao todo foram R$ 27,5 milhões – tudo bancado pelo contribuinte. Três senadores provaram que é possível exercer o mandato sem as verbas do “cotão”. Passaram o ano inteiro sem gastar um único centavo com essas mordomias.

Não estão computados no levantamento as despesas com salários de assessores dos gabinetes – algo que tem uma “transparência” turva no Senado. Para apurar esses valores, é preciso abrir individualmente os dados de 2.867 assessores, depois de passar pelo “captcha” – aquelas letrinhas tortas que diferenciam um ser humano de um computador. Levantamento feito pelo blog no final de 2017 mostrou que os assessores, incluindo gabinetes, lideranças partidárias, comissões e cargos da Mesa Diretora custam meio bilhão de reais por ano.

Em 2019, o maior cabide de empregos foi promovido por Izalci Lucas (PSDB-DF). Em maio, ele já tinha 78 assessores, ao custo mensal de R$ 527 mil. Entrevistado pelo blog, admitiu que não estava satisfeito: “Se tiver oportunidade, vou ter 100”. Está a caminho de cumprir a meta. Encerrou o ano com 86 assessores, com despesa mensal de R$ 648 mil. Se apenas mantiver essa média, gastará R$ 8,5 milhões em um ano. Cinco dos seus assessores são servidores de carreira, com salário médio de R$ 34,6 mil.

Campeões de gastos com dinheiro do contribuinte

O campeão de gastos é o líder do PT, Humberto Rocha (PE), que desembolsou R$ 656 mil em um ano. Sua maior despesa é com “locomoção” – torrou R$ 151 mil. São deslocamentos pelas bases eleitorais, o que exige aluguel de carros, combustível, hospedagem, e alimentação para ele e seus assessores. A segunda maior despesa é curiosa: R$ 135 mil com serviços postais.

O gabinete explicou o motivo: o senador mandou imprimir um Vade Mecum, que reúne 11 das mais importantes leis do país, entre elas a Constituição, o Código Civil e o Código Penal. O compêndio possui um total de 839 páginas, em razão de que é muito pesado. Assim, o envio pelos correios custa mais caro.

A maior despesa com divulgação foi feita pelo líder do MDB, Eduardo Braga (AM). Foram R$ 374 mil – R$ 73% da sua cota – declarados na categoria “Serviços de apoio ao parlamentar”. As empresas contratadas, a um custo mensal de R$ 32,5 mil, prestaram consultoria para produção de conteúdo multimídia (áudio, foto, vídeo, animação) e monitoramento de mídias online (sites, blogs, redes sociais), além de assessoria e serviços de apoio ao mandato. Ele ficou em terceiro lugar no ranking do total de gastos, com R$ 582 mil.

Omar Aziz (PSD-AM) gastou R$ 325 mil com a empresa de Jefferson Coronel para divulgar o seu mandato. A empresa faz consultoria em comunicação e marketing, com monitoramento, pesquisa de conteúdo, redação postagens e design para o meio digital, redes sociais, assessoria de imprensa, estrutura de produção, redação e edição de vídeos.

Aviões, escritórios e restaurantes sofisticados que você paga

Ciro Nogueira (PP-PI), conhecido por gastos excessivos com viagens internacionais, aluguel de jatinhos e restaurantes de luxo, gastou R$ 277 mil em “locomoção”. Em 2019, ele alugou apenas um avião, em agosto, por R$ 14 mil, para acompanhar uma visita do presidente Jair Bolsonaro a Parnaíba (PI), onde inaugurou uma escola com padrão militar. Ainda assim, Nogueira gastou R$ 101 mil com combustível para aviação.

O senador abandonou as viagens internacionais, mas continua fazendo refeições caras. Em março, gastou R$ 1.013 no restaurante Kawa, em Brasília. A refeição custou 15 reais a mais do que o salário mínimo. Em junho, bancou cinco rodízios na SB Churrascaria, ao custo de R$ 646. Em agosto, custeou um banquete no Favorito Grill, em Teresina, no valor de R$ 402. Os convidados comeram um bife de tira, uma picanha na brasa, filé e dois galetos. Em setembro, pagou a conta de um almoço para 16 pessoas em Parnaíba. Tudo por conta do contribuinte.

  •  

O deputado Roberto Rocha (PSDB-MA) gastou R$ 182 mil – 45% da sua cota – com os escritórios de apoio em São Luís e Imperatriz. Além do aluguel na capital, o Senado pagou despesas com segurança e vigilância nas duas cidades e contas de água, luz e internet. As contas de luz ficaram em média R$ 2 mil por mês.

O ex-craque Romário (Podemos-RJ) investiu dois terços da sua cota, ou R$ 252 mil, em passagens aéreas. Segundo afirmou o seu gabinete, muitos dos voos são necessários porque assessores que trabalham com emendas parlamentares moram no Rio de Janeiro. Eles recebem e visitam prefeitos do estado, mas também precisam se deslocar a Brasília para reuniões em ministérios, onde liberam verbas federais para os aliados do senador. Em Brasília, os ministérios ficam a um quilômetro de distância.

Gastos em viagens pelo mundo

O “novo” Senado mais que dobrou os gastos com viagens internacionais em 2019. A despesa ficou em R$ 1,9 milhão. Os maiores gastos foram feitos pelo senador Jaques Wagner (PT-BA), que gastou R$ 157 mil – R$ 61 mil com diárias e R$ 96,5 mil com passagens. A viagem mais cara foi para a China, sendo R$ 38 mil apenas com a passagem em classe executiva. Ele integrou uma missão oficial do Governo da Bahia.

Antônio Anastasia (PSDB-MG) gastou R$ 147 mil com viagens internacionais, sendo R$ 94 mil com passagens. Em abril, esteve em Doha, no Catar, para participar de Assembleia da União Interparlamentar e de sessão do Grupo de Parlamentares da América Latina e do Caribe. Em outubro, participou de nova reunião do Grupo de Parlamentares da América Latina, dessa vez em Belgrado, na Sérvia. Seria mais econômico realizar essas reuniões na América.

Gastos dos senadores em 2010

Quem gastou mais

Senadormaior gasto (R$ mil)cotão (R$ mil)gasto total (R$ mil)
Humberto Costa (PT-PE)locomoção: 151400656
Temário Mota (PROS-RR)locomoção: 260477584
Eduardo Braga (MDB-AM)divulgação: 374514582
Paulo Rocha (PT-PA)locomoção: 179497542
Omar Aziz (PSD-AM)divulgação: 325531542
Jaques Wagner (PT-BA)viagens: 157355520
Roberto Rocha (PSDB-MA)escritório: 182404518
Elmano Férrer (Podemos-PI)passagens: 121411505
Nelsinho Trad (PSD-MS)divulgação: 171359503
Mecias de Jesus (Republicanos-RR)locomoção: 207445502
Chico Rodrigues (DEM-RR)divulgação: 184417498
Zequinha Marinho (PSC-PA)passagens: 158443498
Irajá (PSD-TO)viagens: 121272493
Ciro Nogueira (PP-PI)locomoção: 277368492
Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE)passagens: 130387488

Quem gastou menos

Senadormaior gasto (R$ mil)cotão (R$ mil)gasto total (R$ mil)
Reguffe (Podemos-DF)material: 0,500,5
Jorge Kajuru (Cidadania-GO)material: 202
Leila Barros (PSB-DF)material: 4,107,6
Eduardo Girão (Podemos-CE)passagens: 14,5039
Oriovisto Guimarães (Podemos-PR)escritório: 51083
Fabiano Contarato (REDE-ES)passagens: 460107
Vanderlan Cardoso (PP-GO)escritório: 490117

Fonte: Senado Federal

Por Por Lúcio Vaz /Gazeta do Povo

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques

PLANO-B PETISTA COM JAQUES WAGNER ESTÁ EM RISCO APÓS OPERAÇÃO DA PF

A Polícia Federal amanheceu, ontem, na casa do ex-governador baiano Jaques Wagner. Segundo as investigações, ele recebeu R$ 82 milhões em dinheiro desviado das obras do estádio Arena Fonte Nova,

RONDONÓPOLIS

PALESTRA SOBRE E-SOCIAL E DIREITO PREVIDENCIÁRIO EMPRESARIAL NESTA QUINTA-FEIRA

Nesta quinta-feira (29) a Machado Assessoria, promove a palestra “ E SOCIAL E DIREITO PREVIDENCIÁRIO EMPRESARIAL”. Na oportunidade os preletores serão Fagner Machado- CEO da Machado Assessoria e o advogado

Brasil

LULA RESOLVEU SE ENTREGAR

Lula decidiu se entregar à Polícia Federal. O delegado Igor Romário de Paula lidera negociação com a defesa de Lula para que o ex-presidente se entregue, mesmo depois das 17h.