Vacinação começa em Março no Brasil

Vacinação começa em Março no Brasil

A vacinação contra a Covid-19 no Brasil deve começar em março do ano que vem e vai priorizar profissionais de saúde, idosos e indígenas. A informação faz parte do plano preliminar de vacinação, divulgado nesta terça-feira pelo Ministério da Saúde.

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, disse que o plano completo só ficará pronto após o registro de alguma vacina na Avisa. Medeiros informou ainda que não estão no planos as vacinas da Pfizer e da Moderna. A primeira precisa ser armazenada a -70º C, o que implica um problema logístico grande. A segunda aguenta pouco tempo em temperaturas de até -8º C, mas precisa ser transportada a -20º C.

O Reino Unido aprovou a vacina da Pfizer e deve começar a imunização da população na semana que vem.

Por aqui, segundo o ministério, a vacinação não será obrigatória. Entretanto, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, liberou para julgamento duas ações sobre o tema, com premissas opostas. Uma, do PDT, quer que o Supremo reconheça a competência prevista em lei de prefeitos e governadores para decidir sobre a obrigatoriedade. A segunda, do PTB, pede que esse trecho da lei seja suspenso. O julgamento deve acontecer no dia 11.

Redação com Meio

Talvez você também goste

Mato Grosso 0 Comentários

PEDRO TAQUES E GALLI PARTICIPAM DA CERIMÔNIA DE POSSE DA CGADB

  O governador do Mato Grosso Pedro Taques, o deputado federal Victorio Galli (PSC-MT) e o deputado estadual Sebastião Resende, estiveram nesta segunda-feira( 03) participando da cerimônia de  posse da

Destaques

COVID-19 – Secretário de Saúde de Mato Grosso testa positivo

O secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, testou positivo para a Covid-19. O resultado do exame que apontou o diagnóstico saiu na tarde desta quinta-feira (25.06), contudo, até o momento,

Notícias

BONOTO VAI DISPUTAR PREFEITURA PELO PRTB EM RONDONÓPOLIS

Uma reunião na tarde deste sábado (18) está selando uma a aliança entre conservadores, apoiadores de Bolsonaro, e representantes das seguintes legendas; PRTB, Patriota, Podemos, PSC e PSL. Eles avaliam