Radicalismo da Prefeitura resultou em mais de 1,2 mil desempregados no setor de bares e restaurantes

Radicalismo da Prefeitura resultou em mais de 1,2 mil desempregados no setor de bares e restaurantes

A presidente do Sindicato Intermunicipal de Empregados em Bares e Restaurantes do Sul de Mato Grosso (Sindecombares-MT), Aurinetes de Amorim Moura, disse hoje (06) que a falta de atenção do Poder Público agravou os efeitos da crise e o desemprego no setor. A declaração foi feita durante conversa com o candidato a prefeito Thiago Muniz e seu vice, Ibrahim Zaher, da coligação ‘Unir para Crescer’. A sindicalista criticou as medidas tomadas em Rondonópolis e também a falta de diálogo com a categoria.O setor – que reúne também churrascarias, pizzarias, sorveterias, marmitarias, conveniências, choperias, peixarias, fast food, cozinhas coletivas e buffet – emprega cerca de seis mil pessoas e foi um dos mais atingidos pelos efeitos da pandemia.

Em Rondonópolis a Prefeitura baixou normas severas, impedindo e depois restringindo bastante o funcionamento dos estabelecimentos. Cerca de 1,2 mil trabalhadores ficaram desempregados e dezenas de empresas tiveram de fechar as portas.“Através do sindicato buscamos todas as formas de minimizar os prejuízos, mas fomos sempre muito mal recebidos pelo Poder Público. Nossa categoria é provavelmente a que mais está sofrendo e que isso poderia ter sido diferente se tivéssemos um diálogo melhor. Acho que está na hora de termos gestores com uma nova mentalidade, que compreendam a importância de ouvir a todos antes de adotar medidas radicais”, disse Aurinetes.Thiago e Ibrahim ouviram o relato com atenção e concordaram que a atuação da Prefeitura piorou uma situação que já era naturalmente ruim. Eles criticaram os vários decretos baixados pelo prefeito sem qualquer discussão com os empresários e trabalhadores. “A forma que algumas áreas de nossa economia foram tratadas pela administração municipal foi desumana e pouco inteligente. O resultado é que muitos empresários não suportaram e fecharam as portas ou foram para outras cidades. Isso aumentou o desemprego e o sofrimento da nossa gente. Rondonópolis não merece isso”, disse Thiago.Outro ponto destacado na reunião foi a atuação desastrosa do município nas ações visando prevenir a doença e auxiliar as pessoas que foram contaminadas pelo coronavírus. “A Prefeitura não investiu em testagem e até agora não conseguiu abrir sequer um novo leito de UTI. Pra piorar, ainda desvio o dinheiro enviado pelo Governo Federal para outras áreas”, lembrou.Ibrahim frisou ainda que enquanto empresários fechavam as portas e trabalhadores perdiam seus empregos, a prefeitura usava o dinheiro que deveria ser destinado à saúde para pagar empreiteiras ligadas a políticos e também para fazer negociações estranhas que viraram caso de polícia. “Um exemplo disso foi a compra de milhares de rolos de papel higiênico e também dos respiradores falsos. O município teve um prejuízo milionário e até o momento essas transações não foram devidamente explicadas”, Thiago e Ibrahim manifestaram apoio ao sindicato e aos empregados de bares e restaurantes. Eles afirmaram que estão atentos a situação e que, caso sejam eleitos, o setor será tratado como prioridade no projeto visando acelerar a retomada do crescimento econômico e o combate ao desemprego.A coligação “Unir para Crescer” é composta pelos partidos MDB, PDT, PSC, PSB e Democratas.

Assessoria

Sobre o Autor

Talvez você também goste

RONDONÓPOLIS 0 Comentários

PROS ARTICULA PROJETO RUMO A PREFEITURA DE RONDONÓPOLIS EM 2020

O diretório municipal do Partido Republicano da Ordem Social – PROS em Rondonópolis, está articulando para lançar um nome as eleições municipais de 2020. A legenda pretende ser protagonista e

Notícias 0 Comentários

“TRABALHO FAKE DA PRESIDENTE DA CODER”, DISPARA VEREADOR

O vereador Rodrigo Zaelli (PSDB ), postou um vídeo em redes sociais criticando o trabalho da presidente da Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis CODER) Nivea Calzolari, em razão da realização

Polícia

Polícia Civil lamenta falecimento de investigador, vítima de acidente de trânsito

Com profundo pesar, a Polícia Civil de Mato Grosso comunica o falecimento do investigador Jeferson Goncalves de Pinho, 43 anos, ocorrido neste sábado (03.10). Jeferson foi vítima de um acidente