PUBLICADA A NOVA LEI: QUEM TERÁ DIREITO A RECEBER R$ 600 DO GOVERNO FEDERAL

PUBLICADA A NOVA LEI: QUEM TERÁ DIREITO A RECEBER R$ 600 DO GOVERNO FEDERAL

Foi publicada, em edição extra do Diário Oficial da União, na noite desta quinta-feira (2), a lei que prevê o pagamento de uma renda básica emergencial no valor R$ 600 a trabalhadores informais, autônomos e sem renda fixa, durante a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. O texto foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro com três vetos, mas nenhum altera o valor ou os critérios para participação no programa.

Também foi publicada no Diário Oficial a medida provisória (MP) que abre um crédito extraordinário de R$ 98,2 bilhões para financiar o programa. Os recursos serão repassados ao Ministério da Cidadania, responsável pela implementação da medida. A expectativa do governo é que o auxílio emergencial atenda a cerca de 54 milhões de pessoas.

O pagamento do benefício será feito ao longo de três meses (três parcelas), com operacionalização final pelas redes dos bancos públicos federais: Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil (BB), Banco da Amazônia (Basa) e Banco do Nordeste (BNB), além de casas lotéricas, após o cruzamento de dados para definir quem tem direito ao benefício. O recebimento do auxílio emergencial está limitado a dois membros da mesma família.

Pelas regras em vigor da nova lei, terão direito a receber a renda básica as pessoas que atendam, de forma conjunta, aos seguintes critérios:

– Ser maior de 18 anos de idade;

– Não ter emprego formal ativo;

Não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, de seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família; 

Ter renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;

Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

Além disso, o beneficiário tem que se encaixar em um dos três perfis:

– Ser microempreendedor individual (MEI);

Ser contribuinte individual do INSS (Instututo Nacional do Seguro Social);  

– Ser trabalhador informal, autônomo ou desempregado, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) até 20 de março de 2020 ou que cumpra, nos termos de autodeclaração, o requisito de renda mensal per capita de até meio salários míimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

O auxílio emergencial, segundo a lei, vai substituir o benefício do Bolsa Família nas situações em que for mais vantajoso, de forma automática. A mulher provedora em uma família monoparental, ou seja, sem a presença de um pai, receberá duas cotas do auxílio de R$ 600.

AGÊNCIA BRASIL

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques

Caminhonete é destruída e pai e filha morrem em violenta colisão

Denise Ribeirão da Silva, de 56 anos e seu pai, Marcos Ferreira dos Santos, de 75 anos morreram, esta manhã, em um violento acidente na MT-020 entre Gaúcha do Norte

Destaques

Sebastião Melo derrota comunista Manuela em Porto Alegre

Sebastião Melo (MDB), 62, foi escolhido pelos porto-alegrenses para governar a capital gaúcha na próxima gestão, projeta o Datafolha. Com 97,79% das urnas apuradas, ele tem 54,58% dos votos válidos.

Notícias 0 Comentários

Thiago Silva lidera corrida para deputado estadual em Rondonópolis

O Instituto Mark divulgou a mais recente pesquisa para deputado estadual em Mato Grosso. Os números foram produzidos na cidade de Rondonópolis. De acordo com os dados, o vereador e