PREFEITO DE PEDRA PRETA E A CPI DOS “MATA-BURROS”.

PREFEITO DE PEDRA PRETA E A CPI DOS “MATA-BURROS”.

O prefeito Juvenal Pereira Brito (MDB), mais conhecido por NÁ, do município de pedra preta (30km de Rondonópolis) mais uma vez encontra-se em situação complicada. Será alvo de CPI que pode resultar em cassação de mandato.

Em março deste ano foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por Ato de Improbidade, por causa de um contrato de mais de 1 milhão de reais que estaria simulando uma suposta concorrência de empresas para dar legitimidade à vencedora do pregão.

Agora no início do mês de novembro os vereadores acataram uma denúncia contra o gestor e instalaram a CPI dos “mata-burros”.

O prefeito dessa vez é acusado de ter praticado improbidade administrativa ao adquirir, sem licitação, “mata-burros” no valor de R$ 59 mil. Mata-burros são estrados de madeira, concretou ou aço que são instalados perto de porteiros para funcionar como pontes e impedir a fuga do gado em propriedades rurais.

Pelo que podemos perceber o município comandado por Juvenal Pereira Brito (MDB), volta e meia está envolvido em polêmicas e denúncias de improbidade.

Como não é terra sem lei a situação do prefeito Ná pode se complicar ainda mais. No entanto terá chance de apresentar defesa.

Por enquanto Marreta Neles!

Sobre o Autor

Talvez você também goste

TOFFOLI SUSPENDE LIMINAR DE MARCO AURÉLIO E LULA CONTINUARÁ PRESO

O presidente do Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli, suspendeu a liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, que poderia libertar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Notícias 0 Comentários

GALLI INTEGRA FRENTE “ARMAS PELA VIDA” E BUSCA REVOGAÇÃO DO ESTATUTO DO DESARMAMENTO

Na última quarta-feira (31), no Salão Nobre da Câmara dos Deputados foi lançada a “Frente Parlamentar Mista Armas Pela Vida”. A frente reúne deputados federais e senadores, além de pesquisadores

CONFRONTO E REBELIÃO EM ALTAMIRA LEMBRAM CARANDIRU

Ao menos 57 presos foram mortos, 16 deles decapitados, 36 por asfixia, no confronto entre facções dentro do Centro de Recuperação Regional de Altamira, no sudoeste do Pará. A rebelião

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comente este post!

Deixa uma resposta