PRAÇA ALENCASTRO FOI INAUGURADA POR EMANUEL PINHEIRO E JÁ TEM PROBLEMAS

PRAÇA ALENCASTRO FOI INAUGURADA POR EMANUEL PINHEIRO E JÁ TEM PROBLEMAS

 

A reforma da Praça Alencastro em Cuiabá, que custou aproximadamente R$ 500 mil aos cofres da Prefeitura é o reflexo da falta de zelo com o dinheiro publico.

Menos de seis meses depois de reformada, algumas estruturas dão sinais de um serviço foi mal feito.
O coreto está com uma rachadura de aproximadamente 3 centímetros na base de sustentação, uma rachadura gigante conforme a foto.

É lamentável que a falta de fiscalização na execução de obra seja a marca registrada do setor público no Brasil.Quando a obra foi lançada, o município alegou que a revitalização era necessária porque a estrutura do local era antiga e a falta de reparos representavam perigo aos frequentadores, com uma fonte abandonada e árvores quase caindo devido à infestação de cupins.

As obras, sob a responsabilidade das Secretarias de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanos, Serviços Urbanos e Mobilidade Urbana demonstram falta de zelo da gestão Emanuel Pinheiro, atualmente muito incomodado com a repercussão da “CPI do paletó”.

Se a proposta da prefeitura era resgatar um pouco da história de Cuiabá, com a reforma da praça, também conseguiu resgatar a forma ineficiente de gerir recursos públicos, com total desperdício, pois o trabalho mal feito e mal projetado irá gerar maiores custos para recuperação.

A grande pergunta:

O serviço mal executado não estaria de acordo com o projeto, para que após alguns meses houvesse novas obras na praça?

Onde está a câmara de vereadores de Cuiabá que deveria fiscalizar as ações do executivo?

Nosso país foi tomado pela incompetência e corrupção. Porém, obras inacabadas ou mal feitas não podem ser consideradas dentro da normalidade. A população precisa se manifestar.

Uma obra feita há menos de um ano – a não ser que tivesse ocorrido uma tragédia –, jamais precisaria de reparos. Se estiver, é porque foi mal-feita e porque o responsável não cumpriu o seu papel de fiscalizar as etapas da obra.

Como foi atestada?

Não podemos mais admitir as velhas desculpas e, simplesmente dizerem que “reparos” estão sendo feitos. Faz-se necessário a punição dos responsáveis por obras com este tipo de qualidade.

Isso é um atestado de incapacidade com a sociedade pela falta de zelo dispensado aos recursos públicos e aos departamentos de fiscalização.

É preciso tratar os recursos públicos e a sociedade com respeito.

Marreta Neles!

Compartilhe: