Pátio é suspeito de integrar “organização criminosa”, diz Delegado

Pátio é suspeito de integrar “organização criminosa”, diz Delegado

A segunda fase da Operação Stop Loss, deflagrada na manhã de quarta-feira (25), investiga a prática do crime de organização criminosa dentro Prefeitura de Rondonópolis.

Um dos integrantes, segundo o delegado Eduardo Botelho, da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção em Mato Grosso (Deccor), seria o próprio prefeito, Zé Carlos do Pátio (SD).

A Lei 12.850/2013 define organização criminosa como a associação de quatro ou mais pessoas estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, ainda que informalmente, com objetivo de obter vantagem mediante a prática de infrações penais cujas penas máximas sejam superiores a quatro anos.

delegado Eduardo Botelho, da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção em Mato Grosso

Pátio foi alvo de mandados de busca e apreensão em sua casa e em seu gabinete. Além dele, também foi alvo da operação o secretário de Administração, Leandro Junqueira Arduini, que foi afastado do cargo.

Na primeira fase da ação foram alvos a secretária de Saúde, Izalba Diva de Albuquerque Oliveira, e a responsável pelo Departamento de Administração e Finanças da secretaria, Vanessa Barbosa Machado.

A ação apura superfaturamento em processos feitos pelo Município – por dispensa de licitação – para compra de materiais de consumo e limpeza para o combate à pandemia da Covid-19.

Apenas após a finalização das auditorias, poderemos apontar de forma clara qual foi o montante superfaturamento

O delegado explicou que na primeira fase da ação, deflagrada em junho, foi detectada a prática de crimes de peculato e de fraude de licitação. 

Com a análise dos documentos apreendidos na primeira fase, conforme o delegado, a investigação demostrou a prática do crime de organização criminosa supostamente envolvendo Pátio, Arduini, Izalba, Vanessa e as empresas  R. Merlim Rocha da Silva e Mosaico Distribuidora Atacado e Eletrônicos Eireli, vencedoras da licitação.

“Na primeira fase houve os cumprimentos dos mandados e foram analisados todos os documentos, os quais confirmaram a prática desses dois crimes [peculato e fraude de licitação] e também se começou a investigar uma possível prática do crime de organização criminosa, desta vez, envolvendo o prefeito”, disse. 

“Por isso foi dado o cumprimento na casa dele e no seu gabinete. E indícios mais veemente contra o secretário de Administração, tanto que ele foi afastado das funções”, acrescentou.

Conforme o delegado, a investigação ainda não conseguiu detectar o quanto foi superfaturado dos contratos.

“Ainda não porque as auditorias ainda não acabaram. Apenas após a finalização das auditorias, poderemos apontar de forma clara qual foi o montante superfaturamento”, afirmou.

A operação

Os mandados judiciais foram cumpridos pelas equipes Decoor com apoio do  Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco Criminal) e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), ambos do Ministério Público Estadual.


Os mandados foram expedidos pelo desembargador Juvenal Pereira da Silva, do Tribunal de Justiça. 

Redação com Mídia News

Talvez você também goste

Notícias

Homem recusa usar máscara, agride funcionária de loja e vai preso

A Polícia Militar prendeu um homem (27 anos) por lesão corporal, na última terça-feira, em Sorriso. O suspeito agrediu uma funcionária de uma loja, após ela orientar o cliente a

Mato Grosso 0 Comentários

SINDICATO RURAL APRESENTA A 46ª EXPOSUL COM CAVALGADA E GRANDES SHOWS NACIONAIS

Na noite desta sexta-feira (20)no sindicato dos Produtores Rurais de Rondonópolis foi apresentada para a imprensa a 46º Exposul. Entre os dias 06 e 11 de agosto de 2018, o

Brasil

‘Quem comanda é o presidente Jair Messias Bolsonaro’, diz Mandetta

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta 4ª feira (8.abr.2020) que “está tudo bem” em sua relação com o presidente da República e que “quem comanda esse time aqui é o