Oito das 15 mortes por sarampo registradas no país foram entre crianças menores de cinco anos

Oito das 15 mortes por sarampo registradas no país foram entre crianças menores de cinco anos

Para se proteger da doença, especialista da Sociedade Cearense de Pediatria reforça que a única forma é tomar a vacina

Responsável por 15 mortes no Brasil em 2019, o sarampo é uma doença causada por um vírus. A transmissão pode ocorrer quando uma pessoa infectada tosse, fala ou espirra próxima de outras.

Os principais sinais e sintomas do sarampo são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Além disso, outros sinais podem aparecer em um intervalo de três a cinco dias, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que podem se espalhar pelo corpo.

Crianças menores de 5 anos de idade são mais vulneráveis à doença. Em 2019, mais da metade das mortes registradas ocorreram nessa faixa etária.

Presidente do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Cearense de Pediatria, Robério Leite afirma que o surto de sarampo que o país enfrentou no ano passado está associado à queda do número de pessoas vacinadas. A recomendação do Ministério da Saúde é que ao menos 95% da população esteja imunizada.

Para se proteger da doença, Robério reforça que o único método é tomar a vacina, distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“É um vírus extremamente contagioso. A única maneira segura de se evitar a transmissão do sarampo é que os indivíduos estejam adequadamente vacinados, para que tenham uma quantidade suficiente de anticorpos de proteção. Assim, em contato com o vírus, estão protegidos e não desenvolvem a doença.”

Para que a população entenda que a vacinação é a principal forma de se proteger do sarampo e de outras doenças infectocontagiosas, o UNICEF divulga nas redes sociais a campanha global #VacinasFuncionam. No Brasil, um dos principais objetivos da campanha, realizada em conjunto com a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Imunizações, é combater as notícias falsas com informação verdadeira.

Estimativa do UNICEF aponta que as vacinas salvam até três milhões de vidas por ano, protegendo as crianças de doenças altamente infecciosas e contagiosas e que podem levar à incapacidade ou à morte, como sarampo, pneumonia, rotavírus e difteria. Vacinas são seguras, eficazes e salvam vidas. Saiba mais em família.sbim.org.br.

Rádio Mais

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Saúde

COVID-19 – Prefeito não descarta lockdown na cidade com maior número de mortos em MT

O prefeito de Barra do Garças (520 quilômetros de Cuiabá), Roberto Farias, disse durante uma live nesta segunda-feira (11), após o município confirmar a quarta morte em decorrência do novo

Destaques

Ministério da Saúde amplia transparência na distribuição de equipamentos e insumos enviados aos estados

Para que a população ajude a fiscalizar as ações e esforços do Ministério da Saúde no combate à Covid-19 no Brasil, agora é possível acompanhar a quantidade de leitos de

Saúde

COVID 19 – Bebê indigena com 45 dias morre com a doença

Um bebê indígena, de 45 dias, contaminado com o novo coronavírus, morreu na noite deste sábado (13), em Cuiabá. Ele havia sido transferido na quinta-feira (11) de Água Boa para