OAB – DF É CITADA PELA JBS

OAB – DF É CITADA PELA JBS

O presidente da Ordem dos Advogado do Brasil do Distrito Federal (OAB-DF), Juliano Costa Couto, teria sido mencionado nos esquemas de propina citados em gravações feitas pelo presidente do grupo JBS, Joesley Batista.

A informação foi publicada pelo portal de notícias O Antagonista.

Por meio do blog da OAB-DF, o presidente da instituição alegou que um cliente, amigo de Joesley Batista, o procurou tempos atrás pedindo a indicação de um advogado para um conhecido, com o objetivo de defendê-lo no âmbito da Operação Greenfield, que investiga desvio de recursos nos fundos de pensão.

Juliano indicou Willer Tomaz, advogado de vários políticos, incluindo senadores da República, e experimentado criminalista.

Tomaz é um dos alvos de operação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal (MPF) nesta quinta-feira (18/5).

Segundo Juliano Costa Couto, é muito comum dirigentes de ordem serem procurados para fazer indicação de colegas. “Meu nome deve ter aparecido como parte da narrativa para explicar como esse cliente chegou a Willer Tomaz”, relatou. O presidente da OAB/DF afirmou ainda que não é da empresa Eldorado e nem de Joesley Batista, e nunca atuou judicial ou extrajudicialmente em nada envolvendo este caso.

Garantiu, ainda, que a Polícia Federal não foi em sua casa e, até onde sabe, não é alvo de medida judicial. Juliano afirmou ter certeza de que, após todos os esclarecimentos, “o envolvimento do meu nome revelar-se-á absolutamente injusto e equivocado”.

O principal investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal nesta quinta-feira (18/5) é o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Equipes dos órgãos fazem operação, no âmbito da Lava Jato, em Brasília, Belo Horizonte e no Rio de Janeiro. A irmã do político, Andrea Neves, foi presa na capital mineira.

A ação ocorre um dia depois de a delação de Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, revelar que o tucano teria pedido R$ 2 milhões para pagar sua defesa na Lava Jato.

Levantamento de sigilo

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, afirmou que vai, nesta quinta, ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedir o levantamento do sigilo da delação do proprietário da J&F, controladora da JBS, Joesley Batista, no qual ele teria relatado que o presidente Michel Temer teria dado aval para a compra de silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Lamachia, que estava em Alagoas, está neste momento retornando a Brasília.

“O levantamento do sigilo é fundamental no primeiro momento para comprovar a veracidade desses fatos. Se comprovado, chamo sessão extraordinária para avaliarmos quais seriam as medidas jurídicas cabíveis a serem tomadas pelo conselho. O ponto de partida de tudo isso é a confirmação dos fatos no levantamento do sigilo”, disse em entrevista na manhã desta quinta-feira à Rádio Eldorado.

O presidente da OAB disse que nessas situações defende a publicidade dos processos, até porque dá a chance aos acusados de produzirem defesa. “Em outros casos, em que atrapalharia a investigação, a publicidade não se aplicaria.”

Lamachia ainda comentou a decisão do STF de afastar o senador Aécio Neves (PSDB/MG) e o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR), também citados na delação de Batista. “Age muito bem o STF. Não há outra opção que não seja essa. Se temos confirmação de que STF determinou o afastamento de parlamentares, temos a comprovação do que foi divulgado pela mídia.”

Delação

Em uma gravação feita por Joesley Batista, dono da JBS, em março deste ano, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), dá o aval para que o silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) seja comprado.

O empresário informou a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ambos ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”. Na conversa, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F — holding que controla a JBS, maior produtora de carne do mundo. Posteriormente, Loures foi filmado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. O dinheiro seria parte da mesada.

Informações da Agência Estado

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques

MPE REITERA PEDIDO DE IMPUGNAÇÃO DE AYLON ARRUDA

O Ministério Público Eleitoral, reiterou nesta sexta-feira (16), um pedido de impugnação do registro de candidatura do candidato a vice-prefeito Aylon Arruda (PSD) na chapa encabeçada pelo prefeito de Rondonópolis,

Polícia 0 Comentários

VIOLÊNCIA NO RIO: NÚMEROS DA BALA PERDIDA

Até 16h de ontem, 521 pessoas haviam sido baleadas no Rio de Janeiro desde o início do ano. É uma média de um atingido a cada seis horas. Sete das

LULA PODERÁ SER PRESO NA SEGUNDA-FEIRA 26

O desembargador Gebran Neto do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) confirmou nesta quarta-feira (21), às 11h38min, que o julgamento dos embargos de declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ocorrerá

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comente este post!

Deixa uma resposta