O que aconteceu de tão importante no dia 15 de novembro para transformar a data em um feriado nacional.

O que aconteceu de tão importante no dia 15 de novembro para transformar a data em um feriado nacional.

Todo mundo adora um feriado. Se for prolongado, melhor ainda. Especialmente no final do ano, quando a correria só aumenta e tudo que você quer é ter um tempinho para descansar. O feriado de 15/11 é um desses dias que a gente adora, mas a quem nós devemos agradecer por esse feriado?

Nós devemos esse dia de descanso ao Marechal Deodoro da Fonseca, militar e político brasileiro, que, no dia 15 de novembro de 1889, proclamou a República brasileira, derrubando a monarquia constitucional parlamentarista do Império do Brasil e pondo fim à soberania de Dom Pedro II.

De forma bastante simplificada, a Proclamação da República, nada mais é, do que a queda do Império em virtude de uma nova forma de governo. Conhecer o contexto da época é muito importante para entender como se deu todo o processo

A proclamação aconteceu na Praça da Aclamação, atual Praça da República, na cidade do Rio de Janeiro que, na época, era a capital do Brasil. No mesmo dia foi instituído um governo provisório, que tinha o Marechal Deodoro como presidente e o Marechal Floriano Peixoto como vice.

Essa movimentação resultou na demissão do Conselho de Ministros, bem como de seu presidente. Naquela noite, Deodoro da Fonseca assinou o manifesto de Proclamação da República e instaurou um governo provisório, do qual ele seria o presidente, até que um novo fosse escolhido por meio de eleições.

O documento assinado por ele, além de legitimar o início da República, exigia a abdicação do imperador e que ele e a família deixassem o país. Assim, três dias depois, em 18 de novembro, Dom Pedro II, junto de toda a família imperial, retornaram à Europa.

Cansados do governo centralizador de Dom Pedro II, o segundo imperador do Brasil, as pessoas começaram a exigir mudanças.

Um dos fatores que influenciaram na crise econômica, foi a Guerra do Paraguai, poucos anos antes. O conflito durou de 1864 a 1870 e gerou uma infinidade de despesas para o Império.

Por conta da época, outro fator que pode ser sido decisivo, foi a insatisfação da Igreja Católica, que naquele momento estava insatisfeita com a interferência do Estado em seus assuntos.

Mas não foi só isso, o descontentamento entendia-se também à classe média urbana. Profissionais como Jornalistas, estudantes, artistas, funcionários públicos e muitos outros buscavam por maior presença na política, o que em função do sistema monárquico era impossível.

Integrantes do Exército também se mostravam insatisfeitos por conta da proibição de se manifestarem à imprensa sem autorização do Ministro da Guerra. A classe encontrava-se altamente insatisfeita com a corrupção na corte.

Os grandes proprietários rurais, principalmente cafeicultores, também estavam contra a monarquia. Isso porque, além de estarem insatisfeitos com o fim da escravidão, também desejavam ter espaço maior nas decisões políticas da época.

Além de todos esses fatores, que enfraquecem o governo cada vez mais, Dom Pedro II encontrava-se doente, e por isso cada vez mais distante do governo. O que também colaborou para que o movimento republicano ganhasse força.

Chris Santos

Compartilhe:

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Notícias 0 Comentários

Usiminas : Explosão em Ipatinga (MG). Vídeo

Um gasômetro da Usiminas, em Ipatinga (MG), explodiu por vota das 12h40 desta sexta-feira (10/8), com risco de vazamento de gás tóxico. A empresa confirmou o episódio, por meio de

Destaques 0 Comentários

SALÁRIO GORDO: JUIZ RECEBEU R$500 MIL DO TJ DE MATO GROSSO EM JULHO

Em tempos de vacas magras e cortes nos gastos públicos, o juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública de Sinop, Mirko Vincenzo Giannotte, não tem do que reclamar. Sua folha

Polícia 0 Comentários

Investigação detecta esquema de emissão de notas frias que totalizam R$ 337 milhões

Investigações da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), em conjunto com a Secretaria de Estado de Fazenda, detectaram um esquema criminoso de emissão de notas