MEMBROS DA “CONEXÃO CUBANA” QUE AGIRIA COM ARMAS DIA 24, EM PORTO ALEGRE MORREM EM ACIDENTE

MEMBROS DA “CONEXÃO CUBANA” QUE AGIRIA COM ARMAS DIA 24, EM PORTO ALEGRE MORREM EM ACIDENTE

O sigilo da fonte que gera uma informação responsável está garantido na Carta Constitucional do Brasil, promulgada em 1988. Alguns tentam desqualificar essa imposição “petrea”, comum no Estado democrático e de direito.  Esses, seguidores de uma cartilha conhecida, buscam apequenar, primeiro o livre arbítrio, para em seguida implantar a “tese” de que a imprensa pode provocar “estragos” irreparáveis ao Estado e a seu projeto de poder.

O editor do Cristalvox sabe da responsabilidade do que vai publicar. Possui elementos e informações sólidas colhidas durante toda a semana. Ouviu pessoas que estiveram diretamente ligada ao acidentes de Santa Vitória do Palmar, no qual morreram três cidadãos cubanos, que em tese, seriam turistas. Ao menos é o que consta em seus passaportes. Sabe o editor que os Cubanos não vieram para o Rio Grande “a passeio”. Tinham, segundo se apurou, compromisso agendado dia 24 de janeiro, em Porto Alegre.

Esse assunto já foi explorado nesta sexta-feira, 05 de janeiro, pelo jornalista Políbio Braga. Em seu blog, Políbio estampa a seguinte manchete e escreve:

FBI e CIA investigam 7 cubanos que desceram no Salgado Filho e foram para o Chuí

A fronteira com o Chuí é conhecida pela presença de gente do Isis e também por servir de rota para troca de armas e drogas. A costa do Uruguai e o próprio Uruguai são terras de ninguém.

O FBI e a CIA estão atrás dos 7 cubanos que esta semana ingressaram em Porto Alegre pelo Salgado Filho e foram de táxi para o Chuí, fronteira com o Uruguai. Como se sabe, um dos carros envolveu-se em acidente fatal, no qual morreram três cubanos e um foi parar no hospital de Rio Grande.

Viagens de táxi entre Porto Alegre e Chuí custam R$ 1.500,00.

Os cubanos que sobreviveram ao acidente, negaram-se a prestar socorro aos compatriotas e foram embora para o Chuí, sem sequer voltar para socorrer o acidentado vivo.

Volto: Até uma criancinha de 05 anos sabe que o governo cubano não permite que seus cidadão andem pelo mundo fazendo turismo – as exceções é claro, são franqueadas aos familiares dos genocidas “CASTROS” -. Os mortos portavam passaportes que os liberava a circular pela América. Brasil… Uruguay…

É perda de tempo esperar por uma investigação aprofundada e isenta da Secretaria de Segurança do Estado do Rio Grande do Sul que retrate a verdade dos fatos. Seu titular, César Schirmer é fã de carteirinha do irmãos Castros e do regime cubano. Quanto maior for o segredo ou até mesmo a indiferença para o episódio, mais se terá certeza de que “aí tem”!

O assunto da morte dos cubanos em Santa Vitória do Palmar/RS, em qualquer país que se preocupa verdadeiramente  com a sua segurança interna, teria recebido um tratamento diferenciado. As autoridades policiais e de segurança buscariam saber tudo. Teriam dado a atenção que se impunha para o episódio, já que temos um sobrevivente cubano.

Nada! A não ser que o Gabinete de Segurança Institucional,  comandado pelo General Sérgio Etchegoyen e o Comando Militar do Sul, por seu Comandante,  General Pujol “avoquem” o controle das investigações por se tratar de um “assunto de Estado”.

Armas? Agitação? Espionagem? O que faziam os cubanos no Sul da América?

 

 

Por Leudo Costa/ originalmente Cristalvox.

 

Compartilhe: