MAX FERRAZ SE FILIA AO PTB

MAX FERRAZ SE FILIA AO PTB

Maximiano Ferraz de Almeida, decidiu participar com maior afinco da vida política do município de Rondonópolis e se filiou ao PTB, que tem como presidente municipal Valdemir Castilho / Biliu e na vice presidência o professor Rubens de Oliveira (Escola Galileu Galilei), sendo mais um pré-candidato do partido a câmara municipal em 2020.

Max é Músico, professor e produtor musical, atua a vários anos em prol da cultura, sendo por três vezes presidente da A.M.R- Associação dos Músicos de Rondonópolis. E presidiu o Conselho Municipal de Cultura de Rondonópolis.

“Estou me colocando a disposição para ser avaliado politicamente, apresento meu histórico e sobretudo, acredito nos talentos locais, que são pouco valorizados e sem incentivos na cidade. Desejo a valorização do ser humano como cidadão, a cultura faz parte da nossa vida e precisamos resgatar uma condição de valorização artística e projetos, partimos do princípio de quem pode fazer muita coisa para essa valorização, que é o poder público”. Declarou.

Sempre dedicado as questões culturais, Max sempre lutou bravamente para que os projetos de artistas Rondonopolitanos, fossem aprovados e reconhecidos também pela Secretaria de Cultura do Estado de MT.

Redação

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques

VICE DE ANASTASIA : “NÓS PRECISAMOS DAR AS MÃOS AO CANDIDATO BOLSONARO”

Menos de 24 horas depois de pesquisa Ibope registrar a redução da diferença entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), primeiro e segundo lugares respectivamente na disputa

Política

NELSON BARBUDO : INTERVENÇÃO MILITAR NO RJ E GOLPE CONTRA CANDIDATURA DE JAIR BOLSONARO

Segundo o maior cabo eleitoral de Jair Messias Bolsonaro no Mato grosso, “Nelson Barbudo” conhecido no Brasil por seus vídeos polêmicos. Ele gravou mais um nesta segunda feira (19) onde

Brasil

“ STF JOGA NO LIXO O TRABALHO DE JUÍZES DE INSTÂNCIAS INFERIORES”

“O Supremo Tribunal Federal atravessa uma fase de inédito desprestígio”, diz Josias de Souza. “Encontra-se sob ataque implacável. Mas, ironicamente, o desgaste da Corte não decorre das críticas vindas do