“MATO GROSSO MERECE MAIS”, DIZ PERCIVAL MUNIZ SOBRE EVENTUAL  DISPUTA PELO GOVERNO.

“MATO GROSSO MERECE MAIS”, DIZ PERCIVAL MUNIZ SOBRE EVENTUAL DISPUTA PELO GOVERNO.

PDT DEVE SER O PROVÁVEL DESTINO DO "BARBA", QUE SE REÚNE COM CIRO GOMES EM FORTALEZA

Ex-prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz conhecido como engenheiro político em matéria de articulação, recebeu com naturalidade sua destituição da presidência estadual do PPS e como previsto, o “Barba”, ao contrário do que pensavam seus opositores, saiu fortalecido.

Livre do peso do PPS, ele parte agora com força total rumo a uma candidatura ao governo do estado.

Percival conversou com a reportagem do Marreta Urgente e explicou suas posições.

Uma delas é de que ele acredita em uma grande frente que consiga aglutinar e reunir  as siglas com projeto mais popular de governo.

Várias  siglas entre elas; PSB, PCdoB, PHS e PDT convidaram Percival para se filiar, no entanto as informações dão conta de que o PDT será o destino de Percival, uma reunião com Ciro Gomes candidato a presidente deve acontecer nesta sexta feira (9) em Fortaleza-CE.

Percival deixou claro que a “ historia e o tempo” irão julgar a gestão do governador Pedro Taques (PSDB). E  independente da questão do Pedro  “acredito que mato grosso merece mais”.

Ele destacou que não coloca um projeto pessoal,  apenas o desejo de  reunir um grupo que possa garantir a população de MT, um  projeto alternativo para um novo governo.

“Reunir as visões progressistas e de centro, para garantir uma grande frente, com um  estado mais eficiente, mais enxuto, que ouça mais as necessidades de cada região”.

“Existem inúmeras  lideranças hoje em MT que  desejam um estado mais enxuto, precisamos mudar o quadro caótico da saúde, das estradas e só andar para ver que mesmo aumentado o FETHAB as coisas não mudaram, funcionalismo público na situação que se encontra sem uma possibilidade de falar algo de bom do governo”.

Segundo Muniz  uma revisão fiscal urgente, é necessária, pois alguns segmentos privilegiados pagam  poucos impostos em relação aos incentivos que possuem.

“Melhorar as receitas, mas diminuir o tamanho do estado”. Frisou.

Percival relatou que lhe colocaram nesta situação e agora ele tem  disposição de articular e formar um governo que diminua as “decepções constantes”. Além de uma articulação nacional com a escolha do novo presidente.

“Tenho convite de seis partidos, eu nem sabia que era tão querido”.  Disse em tom de brincadeira ao fim da conversa.

 

Redação

 

 

Compartilhe: