Marcos Valério é transferido para cumprir regime semiaberto

Marcos Valério é transferido para cumprir regime semiaberto

Empresário foi condenado a 37 anos de prisão no caso do mensalão do PT; no semiaberto, ele poderá sair para trabalhar.

O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado no caso do mensalão do PT, foi transferido nesta sexta-feira (6) da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para a prisão de Ribeirão das Neves, para cumprir regime semiaberto.

Ele foi beneficiado pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que o autorizou a progredir para progredir do regime fechado para o semiaberto. O juiz da Vara de Execuções Criminais da Comarca de Contagem, Wagner Cavalieri, determinou nesta sexta a transferência de Valério.

O empresário foi condenado a 37 anos de prisão no julgamento do mensalão do PT e, no regime semiaberto, poderá sair durante o dia para trabalhar.

Marcos Valério foi condenado pelos crimes de corrupção ativa, peculato, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Ele cumpre pena desde 2013.

Wagner Cavalieri também reduziu 75 dias da pena de Valério por causa de cursos que ele concluiu na prisão. Valério estudou direitos humanos, segurança do trabalho, higiene e ergonomia, literatura brasileira 2 e matemática.

G1

Compartilhe:

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques 0 Comentários

PRÊMIO DA QUINA EM RONDONÓPOLIS SAIU PARA BOLÃO DO PARTIDO VERDE

Prêmio de R$ 125 milhões do Concurso especial da Quina (4.706)sorteado no sábado (23), saiu para seis apostas. Os ganhadores são de Vila Velha (ES), Brasília (DF), Porto Alegre (RS),

EX- FILIADO DO PT ROGÉRIO FAVRETO, O DESEMBARGADOR QUE MANDOU SOLTAR LULA

A liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi divulgada neste domingo (8), após decisão do desembargador federal Rogério Favreto do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

DELAÇÃO DE HENRIQUE CONSTANTINO, DONO DA GOL ENVOLVE RODRIGO MAIA E OUTROS

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, homologou a delação premiada do empresário Henrique Constantino, um dos donos da empresa aérea Gol, em um desdobramento da