Marcos Valério é transferido para cumprir regime semiaberto

Marcos Valério é transferido para cumprir regime semiaberto

Empresário foi condenado a 37 anos de prisão no caso do mensalão do PT; no semiaberto, ele poderá sair para trabalhar.

O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado no caso do mensalão do PT, foi transferido nesta sexta-feira (6) da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, para a prisão de Ribeirão das Neves, para cumprir regime semiaberto.

Ele foi beneficiado pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que o autorizou a progredir para progredir do regime fechado para o semiaberto. O juiz da Vara de Execuções Criminais da Comarca de Contagem, Wagner Cavalieri, determinou nesta sexta a transferência de Valério.

O empresário foi condenado a 37 anos de prisão no julgamento do mensalão do PT e, no regime semiaberto, poderá sair durante o dia para trabalhar.

Marcos Valério foi condenado pelos crimes de corrupção ativa, peculato, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Ele cumpre pena desde 2013.

Wagner Cavalieri também reduziu 75 dias da pena de Valério por causa de cursos que ele concluiu na prisão. Valério estudou direitos humanos, segurança do trabalho, higiene e ergonomia, literatura brasileira 2 e matemática.

G1

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Notícias

CÂMARA QUER LEGALIZAR A “RACHADINHA” ENTRE POLÍTICOS E ASSESSORES

Líderes partidários na Câmara dos Deputados estudam a possibilidade de vitaminar o fundo eleitoral taxando em 3% os salários de todos os políticos do Brasil e de seus respectivos assessores. A medida teria como objetivo a

Brasil

BOLSONARO DESMENTE FUTURO MINISTRO

Na manhã de sábado (22) Jair Bolsonaro, presidente eleito tratou de desmentir o futuro ministro Osmar Terra (MDB-RS) via redes sociais. Osmar havia afirmado ao jornal O Globo, que tinha um projeto

Brasil

JUSTIÇA LENTA: PROCESSO ABERTO EM 1895 SE ARRASTA ATÉ HOJE

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou para 6 de dezembro o julgamento de uma ação que trata da posse do Palácio da Guanabara, atual sede do governo do Rio