GUERRA NO PSL/ MT BOLSONARO QUER GALLI E NOVOS FILIADOS REJEITAM DEPUTADO NA PRESIDÊNCIA

GUERRA NO PSL/ MT BOLSONARO QUER GALLI E NOVOS FILIADOS REJEITAM DEPUTADO NA PRESIDÊNCIA

Major Cicero Antônio

O convite do presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para o deputado federal Victório Galli (PSC) acompanhá-lo na filiação ao PSL com objetivo de assumir o comando da sigla em Mato Grosso desencadeou verdadeira guerra entre seus apoiadores. A reação gerou bate-boca nas redes sociais e o caso será levado ao conhecimento da coordenação da pré-campanha à presidência da República.

A publicação que causou o mal-estar foi do major do Exército Cícero Antônio, que se filiou ao PSL, ingressou na direção partidária e pretende ser candidato nas eleições de outubro. Após uma a página do Facebook Direita Mato Grosso publicar uma matéria sobre a possivel ida de Galli para PSL.

Segundo a postagem Cícero Antônio fala que  Galli é oportunista e demagogo por apresentar projeto de decreto legislativo reduzindo os salários e verbas dos deputados federais pensando apenas na própria reeleição. Além disso, afirma que o parlamentar esconde que é sargento do Exército reservista ao mesmo tempo em que se aproxima de Bolsonaro, que classifica como “maior militar e expoente político do país.

Além disso, ataca Galli por ser aliado do governador Pedro Taques (PSDB) e do suplente Xuxu Dalmolin (PSC), que esteve por quatro meses exercendo mandato na Câmara Federal. Segundo Cícero Antônio, os políticos não representam o desejo de mudança e de reorganização da economia e dos serviços públicos em Mato Grosso.

Cícero Antônio faz parte da direção do PSL que almeja a coordenação da campanha de Bolsonaro em Mato Grosso. No entanto, a possível filiação de Galli pode frustrar a aproximação com o presidenciável.

A Direita Mato Grosso rebateu o major, afirmando que deveria se envergonhar por atacar Galli. Afirma que ele foi um dos primeiros parlamentares do país a defender o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e elenca uma série de feitos enquanto militantes direitista.

Como exemplos da atuação de Galli, que é pastor da Assembleia de Deus, a Direita Mato Grosso cita defesa da liberação do porte de armas e posicionamento contrário que chama de casamento gay e legalização da maconha. Destaca ainda a campanha contra a chamada ideologia de gênero e a luta contra livros didáticos que na avaliação dos conservadores promove o incesto.

Os dirigentes da Direita Mato Grosso também prometem denunciar Cícero Antônio nacionalmente por conspiração e jogo de poder. Lembra que a decisão de convidar Galli para se filiar e assumir o comando estadual do PSL foi tomada pelo próprio Bolsonaro.

O presidenciável se filia ao PSL no próximo dia 7 de março. Por isso, aguarda a resposta de Galli para que o parlamentar de Mato Grosso assine a ficha de filiação no mesmo ato político.

Galli e Bolsonaro atuam em conjunto desde fevereiro de 2015, quando assumiram o mandato em andamento. Ambos fazem coro e não fogem de polêmicas para defender pautas conservadora.

 

Redação com RDnews

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Notícias 0 Comentários

QUASE 20 MIL PESSOAS PASSARAM PELA CARAVANA DA TRANSFORMAÇÃO NA PRIMEIRA SEMANA

A população de Tangará da Serra, e dos outros 13 municípios beneficiados pela 10ª edição da Caravana da Transformação, compareceu em peso na primeira semana de atendimentos. De acordo com

Notícias

Após doar salário, Thiago Muniz quer adiar pagamento do IPTU por 60 dias em Rondonópolis

Após doar seu salário como vereador, Thiago Muniz quer a prorrogação, pelo prazo de 60 dias, para o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) com desconto. De acordo

Destaques

Seis homens são detidos por lesão corporal em Rondonópolis

O dia das crianças foi marcado pela violência doméstica na cidade de Rondonópolis (212 km de Cuiabá), onde a Polícia Militar atendeu várias ocorrências de briga envolvendo familiares nesta segunda-feira

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comente este post!

Deixa uma resposta