Gerente de loja assaltada destaca técnica e preparo de policiais durante ocorrência

Gerente de loja assaltada destaca técnica e preparo de policiais durante ocorrência

Na ação policial, dois homens foram presos em flagrante e os sete reféns libertados após 40 minutos de negociação com os policiais

Depois de ficar sob ameaça de um revólver apontado em sua cabeça e servir de escudo para os criminosos, a vítima atribuiu uma troca de olhar entre ele e um policial.

Depois de ficar sob ameaça de um revólver apontado em sua cabeça e servir de escudo para os criminosos, a vítima atribuiu uma troca de olhar entre ele e um policial.

“Ninguém chamou a polícia. No momento do crime passou uma viatura da Polícia Militar em frente da loja, eu olhei para um dos policiais e ele entendeu”. A declaração acompanhada de alívio é de Gerson Oliveira, gerente de uma loja de eletrodomésticos no bairro CPA II, em Cuiabá. Na última segunda-feira (06.01), o estabelecimento comercial foi assaltado e Gerson e mais seis pessoas foram feitas de reféns.

Após permanecer com um revólver apontado contra sua cabeça e de servir de escudo para os criminosos, o gerente reconheceu que o preparo dos policiais durante a ocorrência foi fundamental para salvar sua vida e das outras pessoas rendidas pelos suspeitos. “Eles perceberam meu olhar de pavor diante daqueles homens dentro da loja. Um policial sentado do lado esquerdo da viatura me viu”, declarou. 

O policial responsável por perceber o pedido de socorro foi o soldado Djorley, que patrulhava a região comercial da Avenida Brasil com mais dois colegas. “Nós avistamos os homens colocando algo em uma mochila, o gerente da loja olhou para mim e fez um sinal com a mão. Imediatamente cercamos o local e acionamos o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), para conduzir as negociações com os homens armados”, relembrou o soldado

Para a segurança os transeuntes a PM interditou a Avenida Brasil, no CPA II.

O comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Fernando Augustinho, afirma que todas as equipes que atuam na unidade são orientadas a realizar rondas nas áreas comerciais para passar a sensação de segurança aos clientes e funcionários.

Na ação policial, dois homens foram presos em flagrante, após 40 minutos de negociação com os policiais e os setes reféns foram liberados sem ferimentos. O comandante do Bope, tenente-coronel Ronaldo Roque, que acompanhou as negociações, ressalta que a primeira intervenção feita pelos policiais do 3º Batalhão da PM foi fundamental para o desfecho positivo da ocorrência.

“O resultado positivo desta ação é reflexo das inúmeras capacitações as quais a tropa é submetida na Policia Militar. Prestar um serviço à altura dos acontecimentos e dos anseios sociais é a nossa missão. Situações críticas de maior complexidade, como foi à ocorrência de roubo com refém, requer adoção de procedimentos específicos a cada situação. Ficamos reconfortados ao ver as pessoas saindo ilesas da ocorrência, isso nos motiva a sempre estar nos capacitando”, explica o tenente-coronel.

“Eu não sou militar, mas entendo que vale a pena cada vez mais se treinar e se capacitar. A técnica que eles têm faz com que a gente acredite cada vez mais na Polícia Militar”, ressalta o gerente Gerson Oliveira.

A prisão de um dos suspeitos após a liberação dos reféns.

O responsável pelas negociações do roubo a loja no CPA II, capitão Layo Lomantto, explica que a missão é identificar uma brecha para iniciar as negociações com os suspeitos e, principalmente, manter a integridade física e emocional dos reféns.

“O maior desafio para a equipe de negociação é buscar a solução para a crise no campo diplomático e não bélico, agindo sempre de modo a identificar ou criar uma janela de intervenção. Em meio ao caos, o principal objetivo é restabelecer a ordem, através da mudança de comportamento dos causadores do evento crítico”, diz o capitão.

A equipe de negociação é constituída por policiais especializados em negociação policial. Eles são responsáveis pelo contato direto com os suspeitos, para identificar as suas exigências e necessidades, mapear o problema e buscar a solução do fato. Ao negociador cabe demonstrar equilíbrio emocional e assertividade, dando suporte técnico e tático aos demais policiais envolvidos no processo, buscando, sobretudo preservar vidas.

Assessoria

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Notícias

Decreto: PM FECHA BARES,RESTAURANTES E SIMILARES EM RONDONÓPOLIS

Apos o decreto do prefeito de Rondonópolis José Carlos do Pátio determinando fechamento do comercio na cidade. A PM comecou a executar e determinar o cumprimento dos estabelecimentos não autorizados

Polícia

Homem é preso após furtar carro e tirar cochilo dentro do veículo

Um homem foi detido na manhã desta segunda-feira (6/1) após ser encontrado dormindo dentro de um carro com vidro arrombado no estacionamento da estação do metrô da QR 112, em Samambaia

Polícia

Dois padres são denunciados por estupro em Rondonópolis

Dois padres de Rondonópolis-MT, são suspeitos e estão sendo  investigados por suposto estupro. Segundo boletim de ocorrência  Jhonatha Almeida da Silva e Thiago Silveira Barros  foram denunciados pelo menor de