EDUARDO BOTELHO REDUZ NÚMERO DE SESSÕES NA ALMT PARA BENEFICIAR DEPUTADOS FALTOSOS

EDUARDO BOTELHO REDUZ NÚMERO DE SESSÕES NA ALMT PARA BENEFICIAR DEPUTADOS FALTOSOS

Enquanto o trabalhador brasileiro, para receber seus vencimentos completos no final de cada mês, tem a obrigação de prestar uma jornada de trabalho sem faltas.

O presidente da Assembleia Legislativa do Mato Grosso, Eduardo Botelho (PSB) resolveu arranjar uma maneira especial de “agraciar” seus colegas deputados que  faltam ao serviço.

Em 2018 as sessões parlamentares serão realizadas em apenas um dia da semana e não mais dividas em quatro vezes como ocorreu durante todo ano de 2017.

Os 24 deputados estaduais de MT, recebem um salário de R$ 25,3 mil, além de serem contemplados diretamente na conta bancária com  a quantia de R$ 65 mil mensal, para cobrirem despesas próprias do exercício parlamentar. Mais de R$ 90 mil  com direito de faltar às sessões sem sofrerem descontos.

O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), havia  apresentado  um projeto de resolução estabelecendo punição aos colegas parlamentares que faltarem às sessões plenárias da Assembleia Legislativa.

A intenção era  fazer cumprir o que está previsto na Constituição Estadual que prevê o desconto de parte do salário para cada falta não justificada.

Cada falta a sessões plenárias representaria redução R$ 850,00 no salário dos deputados.

No entanto o mestre do protecionismo, o presidente Eduardo Botelho (PSB) não colocou a proposta em votação.

Assim o ilusionista presidente da ALMT deu um soco na “boca do estômago da ética e decência” e ao mesmo tempo um “tapa na cara” da população Mato-Grossense. Que assiste a honra e a decência serem violentadas publicamente pela medida adotada.

Não esqueçam 2018 é realidade.

Por enquanto Marreta Neles!

 

 

Compartilhe: