Do desespero ao alívio – recém-nascido some de hospital

Do desespero ao alívio – recém-nascido some de hospital

Um bebê com menos de um dia de vida desapareceu na madrugada de hoje no Hospital Santa Casa de Misericórdia, em Belém, e foi encontrado horas depois sob os cuidados de uma mulher em Icoaraci (PA), a cerca de 20 km de distância. Luiz Carlos nasceu na tarde de ontem e sumiu enquanto a mãe e demais pacientes dormiam na enfermaria. As roupas dele foram encontradas no meio do lixo hospitalar durante as buscas nesta manhã, segundo a mãe, a dona de casa Débora Moura, 32

Por volta das 11h20, a Polícia Militar (PM) do Pará encontrou o bebê na posse de uma mulher, cuja identidade não foi revelada. Ela foi presa em flagrante e levada à Delegacia Seccional de São Brás, bairro vizinho ao do hospital, que apura o caso. Segundo a corporação, o bebê está bem de saúde e retornou para Santa Casa, onde encontra-se com a mãe. Desaparecimento de madrugada de acordo com a família, tudo teria acontecido em pouco mais de uma hora. Por volta das 2h, a mãe amamentou o bebê e a cunhada o colocou no berço. As luzes foram apagadas e ambas cochilaram.

O desaparecimento foi percebido por volta das 3h20, quando a acompanhante acordou e não viu Luiz Carlos. Estavam na enfermaria mais duas mães que tiveram bebê. Elas também dormiam. “Colocamos o bebê de volta do bercinho e nos acomodamos. Nós e as pessoas que estavam ao nosso redor cochilamos. Minha cunhada acordou e não viu mais o bebê. Ninguém na enfermaria viu. Já hoje de manhã, acharam a roupinha dele no lixo”, confirmou ao UOL a mãe, ainda muito abalada, antes de o recém-nascido ser encontrado. Ela tem outros dois filhos, um de 12 e outro de 3 anos. Em nota, a Santa Casa disse que “lamenta o ocorrido e que está dando todo o apoio para a família”.

Segundo a mãe, o bebê nasceu com 51 cm e pesando 3,7 kg. Ela conta que decidiu viajar de Benevides, na Região Metropolitana de Belém, até a capital, para buscar a Santa Casa da Misericórdia por ser referência neonatal. Débora afirma, contudo, que o setor da enfermaria onde estava não tinha câmeras de segurança. “Minha gestação foi bem tranquila. Estava apenas esperando ele nascer. Sinto-me agora incapaz e impotente sem ver o meu filho no meu lado. Nem acredito que estou passando por uma situação dessas. A gente vê casos assim por aí, mas não imaginamos que iremos passar por isso, ainda mais em um hospital de referência”, lamentou Débora mais cedo.

Após Luiz Carlos ser reencontrado, uma prima de Débora falou em tom de alívio. “Graças a Deus deu tudo certo. A polícia agiu logo e o bebê já está com a mãe na Santa Casa. Agradecemos a todos que tiveram empatia de se colocarem em nosso lugar para ajudar nas buscas”, comemorou Ana Cunha.

Redação com UOL

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques 0 Comentários

TOFFOLI ASSUME STF COM DISCURSO DE REVERTER ATIVISMO DA CORTE

Ao tomar posse como presidente do Supremo, ontem, José Antonio Dias Toffoli assumiu propondo uma mudança de rumo na Corte. “É dever do Judiciário pacificar os conflitos”, sugeriu no discurso

Destaques 0 Comentários

ERRO EM EDITAL DE RONDONÓPOLIS, PREVÊ FISCALIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE VÁRZEA GRANDE

Na manhã desta quarta-feira (24),o prefeito de Rondonópolis Zé Carlos do Pátio (SD), divulgou que a prefeitura vai realizar um concurso público ainda este ano. E que as inscrições para

Destaques

Prefeitura de Rondonópolis investe R$ 7 milhões em leitos/UTIs e materiais para enfrentamento ao coronavírus

A Prefeitura de Rondonópolis determinou a compra de 90 itens de materiais hospitalares, bem como a instalação rápida de novos leitos hospitalares/UTIs, destinados ao enfrentamento da emergência de Saúde Pública