DITADURA MADURO: GRUPO DE LIMA REJEITA  MOMENTANEAMENTE AÇÃO MILITAR NA VENEZUELA

DITADURA MADURO: GRUPO DE LIMA REJEITA MOMENTANEAMENTE AÇÃO MILITAR NA VENEZUELA

O Grupo de Lima, que reúne 14 nações do continente, reconheceu o líder da oposição e autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, como representante do país no colegiado, mas rejeitou uma ação militar contra o governo de Nicolás Maduro. O tom mais forte, claro, ficou por conta de Mike Pence, vice-presidente dos EUA, que prometeu novas sanções contra Maduro e exortou os demais países a fazerem o mesmo.

Representando o Brasil no encontro, o vice-presidente Hamilton Mourão defendeu o diálogo com os militares venezuelanos que dão sustentação ao regime. “Não tem outra solução, enquanto ele tiver apoio militar. A população contrária a Maduro está desarmada e tem que estar, porque senão iríamos para uma guerra civil que seria horrível para o continente”, disse Mourão.

A oposição venezuelana errou o cálculo sobre o que poderia acontecer no último sábado, com a tentativa de levar ajuda humanitária ao país, e a saída de Maduro ainda demora. Essa é a avaliação da diretora do programa latino-americano do Wilson Center (EUA), Cynthia Arnson. Para ela, é um momento de “frustração e confusão” por parte da oposição, que vai ter de recalcular sua estratégia.

REDAÇÃO COM MEIO

Compartilhe: