Dia Nacional do Fotógrafo

Dia Nacional do Fotógrafo

Em 8 de janeiro é comemorado o Dia Nacional do Fotógrafo. A atividade registra momentos corriqueiros ou históricos por meio de habilidade de captura de imagens a partir da arte de combinar luz, ângulo, profundidade e enquadramento. Mais do que apenas uma reprodução do real, a fotografia ganhou complexidade estética, com expoentes reconhecidos nacional e internacionalmente por seus trabalhos.

O surgimento da fotografia remonta à virada do século XVIII para o XIX. Nomes como Joseph Niepce, Henry Talbot e Louis Daguerre ficaram marcados na história pelo esforço em obter uma reprodução de eventos sem o método da pintura. Artefatos como o uso de câmaras escuras e papeis especiais com o auxílio de cloreto de prata foram pavimentando o caminho do setor.

Em 1839, Daguerre apresentou um modelo de câmera, que foi apelidado de daguerrótipo, que realizava a captura em placas de cobre, o que não permitia cópias. O físico britânico William Talbot adotou um rolo de papel com sais de prata possibilitando a gravação das imagens naquilo que ficou conhecido como “negativo”.

A chegada da fotografia no Brasil ocorreu em 1940, com a apresentação do daguerrótipo. Segundo o curador, crítico e professor universitário Tadeu Chiarelli, essa nova prática ocupou o espaço de outras formas de registro, como a imagem xilográfica e em placas de metal. O nascituro desta atividade vai se confundir com o 2º Império, comandado por D. Pedro II.

A fotografia foi um dos segmentos de produção de conteúdos mais afetados pelas grandes mudanças tecnológicas que marcaram o fim do século XX e as primeiras décadas do século XXI. Grandes companhias mundiais, como a Kodak, criada em 1880 e responsável pela introdução da foto em cores em 1935 e pela câmera digital em 1975, foram duramente impactadas pelo surgimento dos dispositivos digitais e da incorporação destes aos smartphones. Em 2012, a companhia pediu concordata.

Gerações mais novas podem inclusive não ter tido contato com máquinas analógicas, que demandavam a inclusão de um filme, que após o uso do equipamento necessitava ser revelado para a visualização das imagens em um papel especial.

O mundo através das lentes pode ser mais intenso ou mais calmo, mais vibrante ou  frio, movimentado ou parado; depende apenas de uma pessoa: o fotógrafo. É este profissional incrível que consegue captar o mundo de uma visão muito única e original. Celebrar intensamente os momentos da vida, e eternizá-los por meio das lentes fotográficas, é com ele mesmo, estamos falando de Valter Arantes que faz parte da história da cidade com sua arte de eternizar um momento inteiro em apenas uma fração de segundo com sensibilidade e amor pelo seu trabalho no estúdio e fora dele.

Chris Santos com Agência Brasil

Sobre o Autor

Talvez você também goste

ESCOLAS DE SAMBA DO RJ AMEAÇAM NÃO DESFILAR EM 2018

Diante do anúncio de que, em 2018, a Prefeitura do Rio cortará pela metade a subvenção de R$ 24 milhões oferecidas às escolas de samba do carnaval carioca, dirigentes das

Variedades / Entretenimento 0 Comentários

RALLY MISSIONÁRIO EM RONDONÓPOLIS

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Sobradinho, ministério de Madureira (Pr. Anderson Aquino), em parceria com voluntários do Rally Missionário de Brasília/DF, promove nesta Sexta-feira e no sábado, 15

Notícias 0 Comentários

Oscar 2020: “A Vida Invisível” Representará o Brasil e conta o drama de duas irmãs em 1950

Por Larissa Lago Nesta quinta-feira (21), estreia nos cinemas de todo o Brasil “A Vida Invisível”. O filme é um dos mais aguardados do ano e foi o escolhido pela

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comente este post!

Deixa uma resposta