COM INCERTEZAS ELEITORAIS DÓLAR DISPARA E BATE OS R$ 4,20

COM INCERTEZAS ELEITORAIS DÓLAR DISPARA E BATE OS R$ 4,20

O dólar chegou ontem a sua maior cotação desde a criação do Plano Real. As incertezas eleitorais colocaram os investidores na defensiva e a moeda voltou a subir e a Bolsa a cair. No fim do dia, o dólar fechou em R$ 4,19 após bater os R$ 4,20.

Mas esse não deve ser o pico da volatilidade no mercado financeiro nessas eleições. Em um relatório intitulado The rise of the left, o banco suíço UBS diz que o mercado financeiro ainda não precificou uma eventual disputa entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad no segundo turno das eleições — cenário que a instituição considera mais provável. O banco acredita que, como nas eleições de 2002, o pico da volatilidade ocorrerá entre o primeiro e o segundo turnos.

Marcelo Loureiro: “Os boatos se acumulam. Nas corretoras, o mais difundido é o comentário sobre pesquisas privadas que já apontam o crescimento da candidatura de Haddad. Na visão dos investidores, a chapa encabeçada pelo PT é pouco comprometida com o ajuste fiscal. O outro possível competidor no segundo turno, Jair Bolsonaro, corre o risco de não conseguir participar da campanha nas próximas semanas. As investigações sobre Alckmin também provocaram boatos nas mesas de operação das corretoras. Alguns investidores aproveitam o momento para especular, e a cotação da moeda americana acelera.”

Redação Canal do Meio

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques 0 Comentários

‘Eu era viciado em dinheiro’, diz ex-governador Sérgio Cabral

Preso desde 2016 e condenado a quase 200 anos de prisão, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral ligou a metralhadora giratória em depoimento ontem à Justiça Federal. Admitiu ter recebido

Notícias

Vereador Prof.Sidnei apresenta demandas sobre o covid-19 ao secretario de saúde

Em reunião com o secretario municipal de saúde Marcos Neves, o vereador professor Sidinei (PDT) conversou sobre a importância de atendimentos as pessoas que foram contaminada com Covid-19 e se

Confiança do comércio cresce 1,4% de outubro para novembro, diz CNC

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), cresceu 1,4% de outubro para novembro. É a maior

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comente este post!

Deixa uma resposta