(Najara Araújo/Câmara dos Deputados/Divulgação) CÂMARA GASTA R$ 1,48 MILHÃO E JUIZ NEGA MEDICAMENTO DE R$ 300 MIL

CÂMARA GASTA R$ 1,48 MILHÃO E JUIZ NEGA MEDICAMENTO DE R$ 300 MIL

As inusitadas contradições brasileiras, causam mais espanto que o melhor filme de terror já produzido.

Observem o caso em Lages-SC, onde o menino Miguel Teixeira da Luz, de 1 ano e 7 meses, continuará sem o remédio que retarda os efeitos da Atrofia Muscular Espinhal (AME), doença que foi diagnosticado com 5 meses de vida. Cada dose do remédio, que é importado dos Estados Unidos, custa R$ 300 mil. O juiz titular da Vara da Infância e Juventude, Ricardo Alexandre Fiúza, indeferiu o pedido em sentença no dia 19 de dezembro de 2018.

A pediatra Camila Duarte, que acompanha Miguel e receitou o medicamento, diz que todo paciente com atrofia deve fazer uso do Spinraza, que não cura, mas que retardada os sintomas.

Enquanto uma criança é condenada ao sofrimento e a morte por falta de medicamentos, a Câmara dos Deputados, especificamente o Salão Verde da Casa recebe um novo carpete.  Com custo aos cofres públicos de R$ 1,48 milhão.

Além do Salão Verde, a Casa também está trocando os carpetes da galeria superior e das tribunas do Plenário Ulysses Guimarães e do túnel de ligação entre os prédios dos anexos 2 e 4 da Câmara.

Deve ser para que os nobres representantes do povo brasileiro, possam pisar mais suaves na cabeça dos cidadãos que ainda acreditavam em uma nova política.

Um verdadeiro tapa na cara do brasileiro de bem, o dinheiro que falta na saúde do povo, sobra nas benesses dos políticos brasileiros, com raras exceções, sem nenhum escrúpulo e decência.

Marreta neles!

Compartilhe: