5 DEPUTADOS E 3 SENADORES DA BANCADA FEDERAL DE MT NA MIRA DO STF

5 DEPUTADOS E 3 SENADORES DA BANCADA FEDERAL DE MT NA MIRA DO STF

A Revista Congresso em Foco divulgou um levantamento sobre os parlamentares brasileiros deputados e senadores. A bancada do Mato Grosso composta por 8 deputados federais e três senadores tem 70% deles respondendo por processos no Supremo Tribunal Federal (STF).

O senador licenciado e atual  ministro da Agricultura, Blairo Maggi também aparece.

Na Câmara Federal, cinco deputados aparecem na lista: Carlos Bezerra (PMDB),Ezequiel Fonseca (PP), Nilson Leitão (PSDB), Valtenir Pereira (PSB) e Adilton Sachetti.(DEM). 

E os senadores:  Cidinho Santos (PR), Wellington Fagundes (PR) e Blairo Maggi (PP) – Licenciado.

Confira a íntegra das acusações que pesam em parlamentares mato-grossenses:

Carlos Bezerra (PMDB)

Responde ação penal 520, por  crimes contra a administração geral, contra a Lei de Licitações e peculato. Acusado de ter montado um esquema que desviou, em benefício próprio e de terceiros, mais de R$ 100 milhões do INSS, em 2004, quando presidia o órgão.

Ezequiel Fonseca (PP)

Inquéritos 4249 e 4297 e ação penal 941. Por  corrupção  eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e crimes contra a  Lei de Licitações.  O deputado alega que a PGR jé se manifestou pela absolvição dele no processo. Diz que aguarda para ser ouvido nos dois inquéritos.

Nilson Leitão (PSDB)

Coordenador da bancada ruralista, é alvo de sete inquéritos (3711.3632. 3631.3630.3629 e 3492), por corrupção passiva e crimes contra Lei de Licitações. O primeiro caso está relacionado à Operação Navalha, que revelou esquema de corrupção entre a empreiteira Gautama e administradores públicos. Na época, era prefeito de Sinop e chegou a ser preso preventivamente por três dias.

Valtenir Pereira (PSB)

Inquérito 3663, por crime contra a  Lei de licitações.

Adilton Sachetti (DEM)

Réu na ação penal 947 e investigado nos inquéritos 4210 e 4310, por crimes de responsabilidade.

Cidinho Santos (PR)

É réu na ação penal 991, por crime de responsabilidade.

Wellington Fagundes (PR)

Responde ao inquérito 2340 que tramita no STF.

Blairo Maggi (PP) – Licenciado

O ministro da Agricultura é alvo do inquérito 4447, aberto com base nas delações premiadas de executivos da Odebrecht. É suspeito de receber ilicitamente R$ 12 milhões em sua campanha ao governo de Mato Grosso, em 2006. “Não recebi doações da Odebrecht para minhas campanhas eleitorais. Não tenho ou tive qualquer relação com a empresa ou dirigentes e nem autorizei qualquer pessoa a fazer pedido em meu nome”, diz.

Os parlamentares que estão sob a mira da Justiça  aguardam julgamento de ações ou inquéritos no Supremo.

 

Redação

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Mato Grosso

Projeto Unemat Cultural realiza curso sobre música, teatro e cultura popular

O Projeto Unemat Cultural e o Grupo de Estudos em Direitos Fundamentais e Interdisciplinaridade (Gedifi) do curso de Direito da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) realizará o curso

Política

AGORA É LEI – A obrigatoriedade do uso de máscaras em MT

Reunidos em sessão plenária nesta quarta-feira (22), os deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram, em segunda votação, o Projeto de Lei 303/2020, acatando o substitutivo integral número 3, que dispõe sobre

Brasil

COVID-19 – Presidente Bolsonaro testa positivo (ao vivo)

Em live ao vivo informou que esá com COVID-19, Sentiu febre e dor no corpo, hoje esta melhor a febre baixou, o presidente deu início ao tratamento utilizando hidroxicloroquina e azitromicina “Estar contaminado

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comente este post!

Deixa uma resposta