Você acreditou que eu fosse contra o Mickey? Na verdade, eu sou contra ideologias que visam a erotização de crianças.

Você acreditou que eu fosse contra o Mickey? Na verdade, eu sou contra ideologias que visam a erotização de crianças.

Tenho sido atacado covardemente, sob o viés estritamente ideológico, por políticos de centro e de esquerda, até por alguns hipócritas que se escondem sob o manto do conservadorismo, militantes do petismo, esquerdistas travestidos de “isentões” e, em especial, por alguns poucos veículos de imprensa em Mato Grosso. Não esquecendo que em 2017 fui atacado pelo jornalismo local, nacional e internacional por conta de uma crítica que fiz contra a Produtora de Desenhos e Filmes da Disney.

Na ocasião, em 7 de março de 2017, efetuei fortes críticas à Disney por conta da adesão da produtora internacional à agenda do ativismo LGBT mundial. A partir de minha crítica, a imprensa buscou desviar o foco central do problema, me rotularam de inimigo do Mickey Mouse.

Não, eu não sou inimigo de qualquer personagem da Produtora Disney. Eu sou um crítico e continuarei a denunciar a Produtora Disney, emissora Globo e qualquer outra que seja utilizada como ferramenta ideológica para erotização de crianças.

Evitei responder aos veículos de imprensa durante todo este tempo. Mas desta vez, estão tentando me jogar contra um projeto de Natal da Prefeitura de Cuiabá, e isso se torna mais uma ação baixa e covarde de algumas pessoas que alimentam ódio contra mim. Contudo, não posso me furtar em responder estes que se autonomeiam meus “inimigos” ou de “as mentes brilhantes” tupiniquins.

Observe que minha crítica à produtora Disney ocorreu no dia 7 de março. E, 6 dias antes, no dia 1 de março, do mesmo ano de 2017, a Disney exibiu um beijo gay em um de seus desenhos animados. O desenho animado é o “Star vs. As forças do mal”. Eu disse: DESENHADO ANIMADO. O desenho foi direcionado às crianças. E, a intenção do ativismo LGBT é levar orientação sexual e erotização para crianças, numa tentativa de anular o papel dos pais de suas reponsabilidades de educarem seus filhos. Qual o pai de família cristão que desejaria que seus filhos fossem educados e erotizados por uma equipe ideológica subordina à agenda LGBT? Eu tenho lado, sou cristão e havia vencido as eleições para entrar em rota de colisão com setores da mídia que pretendessem destruir os valores cristãos e a família brasileira.

Eu tenho certeza que o Mickey Mouse, criado pelo saudoso e conservador Walt Disney, tem a função nítida de levar alegria, inocência e beleza para as crianças de todo o mundo. Mas as pessoas, que estão hoje no comando da Produtora da Disney, são ativistas que tem o objetivo nefasto de aplicar a agenda LGBT usando do belo projeto de Walt Disney para subverter crianças, destruir famílias e desconstruir a heteronormatividade.

A cronologia dos fatos, descrita acima, me colocam como o único detentor da verdade. O que motivou minha crítica ao principal ícone da Produtora Disney, crítica feita ao Mickey enquanto ferramenta ideológica, feita enquanto retórica para que minha mensagem fosse ouvida pelos cristãos, foi alertar que os personagens da Disney estavam sob o comando de pessoas mal-intencionadas e não mais de seu criador, Walt Disney. Segue o link de matéria do G1 sobre a covardia da Produtora Disney. A própria Globo informou sobre o desenho que passou a ser usado para levar beijo gay para as crianças, no dia 1 de março de 2017: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/disney-exibe-beijo-gay-pela-primeira-vez-em-desenho-animado.ghtml

Me surpreende, que alguns cristãos, conservadores e direitistas tenham caído nessa narrativa propagada pela grande mídia esquerdista contra mim. Se você, cristão, direitista, acreditou nessa patacoada contra mim, saiba que você caiu num jogo sujo contra sua própria família, contra os valores cristãos e você está sendo usado como massa de manobra do petismo.

Meu nome, obviamente, voltou a ser alvo de ataques. A tentativa de ridicularização é a tática usada pela esquerda para que o denunciador não seja ouvido pelas massas. A esquerda não aceita concorrentes, a esquerda tem medo da verdade e não aceita que nós tentemos desmascará-la. A regra é: “Ridicularize o denunciador e a denúncia nunca será ouvida”. Joseph Goebbels, Ministro do Nazista Hitler, usou essa estratégia para desmoralizar Winston Churchill, primeiro ministro inglês. Esse tipo de maldade já é pratica há muito tempo.

Mas por que tentam me ridicularizar?

Primeiro, eu estou certo. Pois, se eu tivesse errado, eu ou minhas críticas seriam tratados com desprezo. Então, por que veículos de mídia nacionais e internacionais decidiram me atacar? Porque eu estava dizendo a verdade.

Segundo, neutralize e intimide o denunciador para que ele não continue denunciando o projeto da esquerda anticristão e da Nova Ordem Mundial.

Terceiro, quando impedimos o avanço de uma agenda que pretenda sexualizar crianças. Eu confrontei e incomodei toda a esquerda;

Quarto: eu tive uma conversa com o presidente eleito e decidimos que Cuiabá precisará ter um candidato a prefeito. E, meu nome está como prioridade para a cidade verde. Com isso, há interesses claros em me atacarem.

Imagine Victório Galli como Prefeito! O avanço de políticas do ativismo LGBTs, ideologia de gênero, regulações sobre o UBER, aumento de impostos, política ambiental perseguidora do empresariado, política da indústria da multa de trânsito, burocracia e tantas outras agendas seriam alteradas, encerradas ou impedidas de entrar. Eu sou uma pedra no sapato da esquerda. E, só tive essa certeza quando fui atacado até pela imprensa internacional, em 2017. Graças a Deus.

Quanto ao projeto de Natal da Prefeitura de Cuiabá, sou totalmente a favor. Entendo que o evento deva ter participação da iniciativa privada e que seja moderno, que atenda interesses dos cristãos, pois somos maioria neste país. A valorização do Natal, com a promoção deste evento, já se torna positiva, desde o início. Entendo que o nascimento de Jesus deve ser lembrado e levado às nossas crianças, sempre. E, a prefeitura está de parabéns. Não há razão alguma para eu criticar a organização do evento.

Nos EUA, Donald Trump tem buscado resgatar os valores cristãos. No Brasil, a vitória de Bolsonaro representa o resgate desses mesmos valores cristãos, bem como o fortalecimento da família. E, quanto ao evento natalino promovido pela Prefeitura de Cuiabá, eu parabenizo, sim, a equipe do Prefeito. O principal pilar de nossa civilização no ocidente é a fé cristã, e devemos apoiar a iniciativa.

A opção pela homenagem aos 90 anos da Disney, ao evento digital que ocorrerá em Cuiabá, é uma forma de, também, homenagear as crianças e incentivar à participação no evento natalino. Eu somente seria contra caso trouxessem eventos que erotizassem crianças, o que não é o caso.

Eu não mando recados pela imprensa, então qualquer notícia que tenha sido veiculada sobre o evento natalino e meu nome é pura histeria ideológica e factoide, não representando a verdade.

Aproveito este momento, além de parabenizar a Prefeitura de Cuiabá pelo evento, para sugerir que no próximo ano, que se faça uma homenagem a personagens de nossa terra, como: Liu Arruda, Jejé, Filinto Müller, Marechal Rondon, Dona Bem Bem (Constança Figueiredo Palma), Roberto Campos, Marechal Eurico Gaspar Dutra, Zé Bolo Flô, Mãe Bonifácia, Ricardo Guilherme Dicke, Ana Maria do Couto, Manoel de Barros, Historiador Rubens de Mendonça entre outros. Pois tenho defendido o resgate de nossa história. Muitos jovens e crianças estão alheios aos heróis e figuras históricas nacionais e locais.

E, para finalizar, duas reflexões.

Primeira, eu fui o sexto deputado mais votado de Mato Grosso nas eleições de 2018, não sendo eleito por conta de um sistema eleitoral falho e injusto. Fui eleito pelo povo e retirado pelo sistema.

Segunda reflexão. Àqueles que me atacam, em especial, com ridicularizações quanto a minha defesa da inocência de nossas crianças, quanto à denúncia contra a Produtora Disney e Rede Globo, quando da adesão em suas programações e produções de pautas anticristãs, sintam-se envergonhados, pois vocês estão apoiando deliberadamente: a destruição das famílias, o avanço da Agenda da Pedofilia com a sexualização precoce de crianças, contribuindo com as políticas ideológicas da Nova Ordem Mundial, a destruição de nossa soberania promovida pela ONU, a Agenda LGBT, os organismos internacionais que estão promovendo ou apoiando perseguições contra cristãos por todo o mundo.

Que Deus abençoe as famílias. Feliz Natal e um 2019 de muita paz e saúde.

Victório Galli, deputado federal pelo PSL.

Compartilhe: