ROSSATO DESISTE DA CAMPANHA AO GOVERNO E TERCEIRIZA A CULPA

ROSSATO DESISTE DA CAMPANHA AO GOVERNO E TERCEIRIZA A CULPA

Aconteceu o que estava previsto. Dilceu Rossato, ex-prefeito de Sorriso, desistiu da sua pré-candidatura ao Governo de Mato Grosso. Foi o que ele confirmou ao site olhar direto da capital Cuiabá.

Mal pontuado nas pesquisas e pouco alinhado ao deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), não conseguiu mostrar sua cosmovisão direitista, e tampouco ganhar a simpatia do pré-candidato à Presidência da República do partido.

O ex- prefeito de Sorriso, que somente  tinha tempo para se dedicar aos seus negócios profissionais, finalmente reconheceu que politicamente, em uma disputa, “sairia do nada e chegaria a lugar nenhum” com o procedimento adotado por ele, esperando a oportunidade cair do céu.

No entanto, Rossato preferiu terceirizar a culpa da sua pífia pré-campanha, sua falta de planejamento e falta de popularidade. Rossato decidiu colocar a culpa, da precipitada desistência, nas costas do deputado federal. Victório Galli, presidente estadual do partido escolhido por Bolsonaro. Galli é da confiança de Bolsonaro e nenhuma decisão foi tomada por Galli em detrimento de Rossato.

Segundo acompanhamos, desde o início, Galli não tomou decisão sobre Rossato e as andanças e conversações estão sendo conduzidas por Selma Arruda, Nelson Barbudo e Victório Galli, e Galli reporta todas as demandas ao Gustavo Bibiano, presidente do PSL NACIONAL e diretamente ao Bolsonaro.

Fica a dúvida se Rossato pode culpar alguém. Vamos refletir.

Culpar Galli, por seu próprio fracasso, faz parte de sua estratégia, para que não precise assumir o resultado pífio em pesquisas? Rossato está agindo de forma ingênua, já que utilizou uma estratégia equivocada, desde o início, e não conseguiu sua consolidação por sua própria culpa? Quem é o responsável pela sua desistência? Será que ele pode culpar alguém? Afinal, enquanto a executiva estadual, nas figuras do Victório Galli, do Nelson Barbudo e da juíza aposentada Selma Arruda, trabalhavam para construção dos projetos da legenda visando às eleições de 2018; o empresário e milionário do agronegócio Rossato estava viajando pelo mundo, ocupado com seus afazeres. A última viagem do ex-pré-candidato foi ao México e com direito a uma passagem pelo caribe onde os milionários costumam fechar grandes negócios nas praias de Cancun.

Além disso, Rossato e Pivetta tem negócios em comum e a política por vezes  pode atrapalhar.

Para surpresa de muitos, Otaviano Pivetta, amigo de Rossato, tem mantido boas conversas com o PSL de Galli, Selma e Barbudo. Neste sentido, o Rossato não sabe de nada?

Dessa forma encerrou o capitulo da pré-candidatura que nunca existiu de fato. A partir de agora, o espaço continuar aberto para que o PSL estadual viabilize uma pré candidatura majoritária ou continue conversando com outras siglas a fim de compor uma futura aliança nas eleições de 2018.

Rossato está naquela: a volta daquele que nunca foi.

Por enquanto Marreta Neles!

Compartilhe: