Marcello Casal Jr./Agência Brasil Região e Perfil dos infectados :Brasil tem 3.904 casos e 114 mortes por covid-19

Região e Perfil dos infectados :Brasil tem 3.904 casos e 114 mortes por covid-19

A covid-19 já foi diagnosticada em 3.904 pessoas no Brasil, tendo resultado na morte de 114 vítimas. Com isso, a taxa de letalidade da doença no país está em 2,8%, segundo balanço do Ministério da Saúde, divulgado neste sábado (28).

No balançode ontem (27), o número de diagnosticados estava em 3.417, e o de mortes em 92 (taxa de letalidade de 2,7%). O número de casos registrados nas últimas 24 horas, portanto, soma 487.

São Paulo é o estado com maior número de infecções comprovadas, com 1.406 casos e 84 óbitos, com taxa de letalidade em 6%. Apesar de ter os maiores números absolutos, São Paulo tem taxa de letalidade menor que o Piauí, que soma 11 casos e uma morte, com índice de letalidade em 9,1%; e que Pernambuco (68 casos, cinco mortes e letalidade em 7,3%).

O segundo estado com mais casos absolutos confirmados é o Rio de Janeiro, com 558 pessoas infectadas e 13 óbitos (letalidade em 2,3%). Minas Gerais vem em terceiro lugar, na contabilidade dos casos, com 558 comprovações, mas sem mortes registradas até o momento.

Veja como os casos estão espalhados por região no país:

Perfil dos infectados

Com relação à faixa etária, 90% dos óbitos foram de pessoas com idade acima de 60 anos (91 casos). Seis óbitos foram de pessoas com idade entre 40 e 59 anos; e quatro, de pessoas com idade entre 20 e 39 anos.

Considerando os grupos de riscos, 84% dos óbitos são de pacientes que apresentavam pelo menos um fator de risco.

De acordo com o ministério, 59 óbitos ocorreram com em pessoas com algum tipo de cardiopatia. “Essa é uma doença que às vezes apresenta poucos sintomas. Mas ao se prolongar ela cansa as pessoas. Temos muitos relatos de pessoas que se dizem cansadas por causa dela. Por isso, em pacientes com cardiopatias, o coração não aguenta. É um vírus que cansa o corpo depois de dias”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Ainda no âmbito dos grupos de risco, entre os óbitos, 43 tinham histórico de diabetes; 19 de pneumopatia; dez apresentavam doença renal; dez tinham quadro de imunodepressão; sete, doença neurológica; quatro, asma; três, doença hematológica; duas pessoas apresentavam obesidade; uma tinha doença hepática; e uma era puérpera.

Veja a evolução do número de casos no país, desde o registro do primeiro caso:

Redação com Agência Brasil

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques 0 Comentários

Sequestradores colocam bebê pela janela para evitar que a polícia atire.

Uma família moradora de uma propriedade rural na Gleba Tibaji, em Brasnorte (590 km de Cuiabá), viveu momentos de terror nessa segunda-feira (25) depois de ser vítima de um assalto

Notícias 0 Comentários

“VENDEU A ALMA PRO DIABO CUIABANO”, DIZ EX-SECRETÁRIO DE ZÉ DO PÁTIO

Mudanças no “staff “de qualquer governo seja na esfera federal, estadual ou municipal são corriqueiras e normais, afinal cabe ao gestor procurar melhorar a cada dia, e tentar corrigir as

Mato Grosso 0 Comentários

PESQUISADOR CABO DR. LAUDICÉRIO VAI ESCLARECER DÚVIDAS SOBRE GOVERNANÇA PÚBLICA PELO FACEBOOK

O cabo da PM e Doutor em Administração, Laudicério Machado Autor do o livro Governança Pública – Serviço de Saúde aos agentes de Segurança Pública em Mato Grosso, resolveu inovar