‘Quem comanda é o presidente Jair Messias Bolsonaro’, diz Mandetta

‘Quem comanda é o presidente Jair Messias Bolsonaro’, diz Mandetta

Afirma que ‘está tudo bem’ Também comenta cloroquina

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta 4ª feira (8.abr.2020) que “está tudo bem” em sua relação com o presidente da República e que “quem comanda esse time aqui é o presidente Jair Messias Bolsonaro”. 

Ele falou em entrevista coletiva nesta tarde, depois de, nos dias anteriores, ver a possibilidade de sua suposta demissão dominar as discussões em Brasília. Na 2ª feira (6.abr), sem citar nominalmente o presidente, Mandetta afirmou que fica no cargo e pediu paz para trabalhar.

Já nesta 4ª, o ministro quis “deixar claro” que a relação com o presidente está pacificada:

“A todos aqueles que estão com os ânimo mais exaltados, eu queria deixar claro: aqui está tudo bem. Nós estamos olhando pelo parabrisa e essa estrada a gente vê que vai ter dias muito duros. Muito difíceis. E quem comanda esse time aqui é o presidente Jair Messias Bolsonaro”.

Mandetta também comentou as duas reuniões que teve nesta 4ª com Bolsonaro, a quem chamou de “muito parceiro, muito voluntarioso”. O ministro disse ainda que há “1 bom clima” e que “toda equipe está tranquila”.

CLOROQUINA

O ministro da Saúde voltou a reforçar seu posicionamento sobre a cloroquina. O medicamento, já usado em casos de malária e lúpus, é apontado como uma possibilidade para o tratamento da covid-19 –a doença causada pelo novo coronavírus.

A alternativa é amplamente apoiada por Bolsonaro. Ele afirma que a resistência ao uso do medicamento tem viés político.

Já o ministério restringe a medicação a casos graves, ponderando que não há evidências científicas suficientes para permitir a aplicação ao público geral de forma segura.

Nesta 4ª feira (8.abr), Mandetta alertou sobre os efeitos colaterais do remédio e argumentou que a maioria dos pacientes é assintomática e não precisa de medicação. “Será que seria inteligente dar 1 remédio para 85% das pessoas que não precisam desse remédio, 1 remédio que tem efeitos colaterais? E sem saber se é coronavírus?”, questionou.

O ministro também argumentou que os efeitos colaterais da cloroquina como a arritmia– podem atingir de maneira mais grave pessoas mais velhas, que teriam, ainda segundo Mandetta, uma tendência maior de possuir doenças crônicas.

Apesar das colocações, o ministro afirma que o direcionamento deve vir do Conselho Federal de Medicina. Ele pediu que o colegiado se posicione até 20 de abril sobre o tema.

ISOLAMENTO SOCIAL

Mandetta comentou o aumento percentual de casos, “que se mantém entre 15% e 20%”. Isso, de acordo com o ministro, é reflexo da redução da circulação de pessoas:

“Como as duas ultimas semanas nos diminuímos muito a mobilidade social, esse número [acréscimo percentual no número de casos], que chegou a 20%, caiu e chegamos a 16%.”

Ele pediu “muito cuidado” a grandes centros urbanos que estejam relaxando as medidas restritivas, mas afirmou que “não é função do Ministério da Saúde dizer o que cada Estado deve fazer”. 

EQUIPAMENTOS

O ministro comunicou o 1º contrato para a aquisição interna de respiradores. Um conjunto de empresas nacionais, em pareceria com bancos, deve entrar 6.500 respiradores em 90 dias.

O esforço em “fazer a indústria nacional disparar a produção em tempo reduzido” decorre da frustração das compras feitas com a China. De acordo com o Mandetta, “praticamente todas elas não estão se confirmando”.

A China produz mais de 90% dos chamados EPIs (equipamentos de proteção individual) e cessou temporariamente as exportações para atender a demanda interna. Agora, os produtos estão em falta e são disputados por diversos países.

Eis outros destaques das colocações do ministro nesta 4ª feira:

  • EPIs: foram distribuídos 50 milhões de equipamentos de proteção individual. Um carregamento com mais 40 milhões é esperado para 6ª feira (10.abr). O Ministério da Defesa irá ajudar com a logística de armazenagem;
  • Leitos: o ministério irá destinar R$ 650 milhões para a criação e manutenção de 2.000  novos leitos;
  • Testes rápidos: Foram distribuídos 499 mil testes rápidos. A expectativa do ministério é receber mais 1 milhão até 6ª feira (10.abr);
  • “O Brasil conta comigo”: No total, 664,6 mil profissionais de saúde se cadastraram na plataforma criada pelo Ministério da Saúde. A plataforma também conta com 89.376 estudantes inscritos. As pessoas cadastradas podem ser chamadas a trabalhar em outros municípios, a depender da necessidade.
  • Tele atendimento: 1,5 milhão de pessoas utilizaram o Tele SUS, plataforma de atendimento remoto do Sistema Único de Saúde. Foram 500 mil atendimentos em 1 dia. A pasta acompanha 40 mil pessoas de maneira remota;
  • Hospital de campanha: o Ministério da Saúde constrói 1 hospital de campanha no Goiás que deve servir de modelo para os próximos. Serão gastos R$ 10 milhões e as instalações devem ficar prontas em 15 dias.

Poder 360

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques 0 Comentários

GREVE DA PM: CEARÁ REGISTRA 29 MORTES EM UM DIA

O presidente Jair Bolsonaro atendeu ontem a um pedido do governador cearense Camilo Santana e autorizou, além do envio da Força Nacional, também as Forças Armadas para garantir a ordem durante o

Política 0 Comentários

SANEAR DIZ QUE VÍDEO DO RIO VERMELHO NÃO É DE ESGOTO SEM TRATAMENTO

Desde segunda-feira (10) está circulando nas redes sociais, imagens ao longo do Rio Vermelho, onde a autora do vídeo mostra em determinado local, o despejo de um líquido. Com sua

GLOBO EM CRISE CORTA FESTA DE FIM DE ANO DOS FUNCIONÁRIOS

A Rede Globo não realizará a tradicional festa de final de ano para os seus funcionários, devido a crise econômica que a empresa vem passando no último ano. A informação