PROMOTOR ENCRENCA: COM BECA E DE CUECA, PROMOTOR É PRESO NOVAMENTE APÓS QUEBRAR EMISSORA DE TV E HOTEL EM MT.

PROMOTOR ENCRENCA: COM BECA E DE CUECA, PROMOTOR É PRESO NOVAMENTE APÓS QUEBRAR EMISSORA DE TV E HOTEL EM MT.

O promotor de Justiça Fábio Camilo da Silva que foi conduzido para a Delegacia após se envolver em uma ocorrência de desacato e embriaguez ao volante, na tarde de sábado (1º). Aprontou mais uma de suas peripécias, na madrugada deste domingo (2).

Após ser denunciado de ter ameaçado hóspedes de um hotel e jogado água em um deles. E ele quebrou a porta de vidro de uma emissora de TV e foi detido.
Mas como tem prerrogativa de foro o promotor não permaneceu preso. Caso ele ficasse detido, os militares poderiam ser presos por abuso de autoridade.

A legislação determina que autoridades com foro podem ser presas somente em crimes inafiançáveis, como tráfico de drogas, racismo, tortura, crimes hediondos e terrorismo.

A PM relatou que logo que chegou ao local encontrou o homem visivelmente alterado. Silva argumentou à polícia que somente teria jogado água em um dos hóspedes.
Os hóspedes relataram à PM que Silva os ameaçou e disse que “era melhor eles saírem do hotel ou a situação se complicaria para eles”. A Polícia Militar afirmou que tentou pedir ao promotor para se acalmar. Na sequência, o membro do MPE teria deixado o hotel, dizendo que iria até a cidade de Colíder.

Horas depois, na manhã deste domingo, Fábio Camilo da Silva foi detido novamente. De acordo com a Polícia Militar, ele foi à sede da TV Migrantes, afiliada do SBT em Guarantã do Norte, e quebrou uma porta de vidro da emissora. Ele chegou a machucar a perna durante a ação.

Logo após o ato, a Polícia Militar foi acionada e o promotor foi detido novamente. Ao perceber a presença dos militares, ele chegou a colocar a beca, para demonstrar que é uma autoridade. Por baixo da toga, ele usava apenas uma cueca, sem qualquer bermuda ou calça.

O promotor foi encaminhado ao hospital da cidade para tratar o ferimento na perna. Ele encontra-se detido na unidade de saúde. Um membro do MPE deve ser acionado para ir à Delegacia da cidade para acompanhar o caso. A expectativa é de que ele seja liberado novamente, em razão da prerrogativa de foro.

Em outras imagens registradas durante a ocorrência, Fábio Camilo da Silva fez o sinal da cruz com uma caneca com líquido que aparenta ser cerveja e disse. “Até para curar é mais rápido, daqui a cinco minutinhos não tenho mais nenhum hematoma. Daqui a cinco minutos nem machucado eu estou, porque saro rápido”, narrou.

MPE E A  POSTURA DE PROMOTOR

Por meio de comunicado, na manhã deste domingo (2), o Ministério Público Estadual informou que irá investigar a conduta do promotor de Justiça Fábio Camilo da Silva. O MPE repudiou a postura do membro e garantiu que aplicará medidas disciplinares contra o profissional.

“O Ministério Público do Estado de Mato Grosso lamenta profundamente a situação ocorrida em Guarantã do Norte e assegura que todas as providências estão sendo tomadas para apuração da conduta do promotor de Justiça substituto e adoção das medidas disciplinares cabíveis”.

O órgão ainda justificou que o caso é isolado e não é coerente à postura de outros membros do MPE. “Destaca, ainda, que trata-se de um fato isolado que não representa a postura adotada diariamente pelos 264 membros da Instituição”, asseverou.

Fábio Camilo da Silva é “novato” no Ministério Público Estadual. Ele tomou posse em 7 de abril deste ano, junto com outros 18 promotores.

 

Redação

 

Redação

Compartilhe: