MICROCELULAR: O TELEFONE QUE ESTÁ TOMANDO AS PRISÕES DO BRASIL

MICROCELULAR: O TELEFONE QUE ESTÁ TOMANDO AS PRISÕES DO BRASIL

Telefones entram com facilidade em presídios por conta do tamanho e material fabricado.

Um telefone que cabe na palma da mão, com 99% de plástico, que apenas faz ligações e recebe SMS. A tecnologia pode parecer ultrapassada, mas é exatamente por ter essas configurações que os microcelulares estão tomando as prisões do Brasil ao passarem despercebidos pelos detectores de metal.

Com cerca de seis centímetros, os aparelhos fabricados na China têm visuais curiosos, semelhantes a pequenos brinquedos. Apesar de não terem homologação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), os dispositivos são vendidos livremente em sites de compra por um preço médio de R$ 230. Em alguns casos, é possível escolher até mesmo entre cinco cores do modelo.

Fáceis de comprar e de esconder, os microcelulares têm formatos variados, todos com tamanho equivalente ao de uma tampa de caneta ou, no máximo, de um isqueiro. Alguns lembram os antigos “tijolões” da Nokia, enquanto outros apostam nos fãs de carros de luxo ao simular chaves e miniaturas de BMW, Audi, Porsche ou Ferrari.

Além do tamanho e do disfarce no visual, uma das especificações que faz com que o dispositivo entre em presídios sem ser notado é a fabricação em plástico. Segundo vendedores, os “menores celulares do mundo” têm apenas 1% de metal, o que impede que detectores percebam o aparelho. O detalhe é tão característico que não é difícil encontrar questões em sites de compra confirmando a barreira de identificação.

 

Fonte: globo.com

Compartilhe: