Justiça pede devolução do dinheiro da campanha de Lula

Justiça pede devolução do dinheiro da campanha de Lula

Recurso público não pode ser usados por inelegíveis, diz procuradora

Sexta-feira (30), Raquel Dodge, procuradora-geral da República, entrou com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo que a coligação Feliz de Novo devolva ao Fundo Partidário o dinheiro usado este ano para financiar a campanha presidencial de Lula.

A procuradora afirma que os recursos públicos para o financiamento de campanhas não podem ser utilizados por candidatos inelegíveis, informa a Agência Brasil.

Segundo Dodge, a coligação Feliz de Novo do PT e PCdoB, gastou R$ 19,4 milhões até 31 de agosto, data que o TSE decidiu que o presidiário estava inelegível. Os gastos com deslocamento do vice, Haddad, telefonia e pesquisa, foram indevidos, afirma.

“O então pretendente a candidato Luiz Inácio Lula da Silva usou indevidamente recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha para custeio de atos de divulgação de sua pretensão de disputar a Presidente da República, gastos esses manifestamente ilegais diante de sua inequívoca e insuperável inelegibilidade, que o afetava desde antes da formalização do requerimento do registro de candidatura” – argumenta a procuradora.

Ricardo Roveran / Terça Livre

Compartilhe: