HOMEM DADO COMO MORTO PELA POLÍCIA SE APRESENTA NO FÓRUM PARA COMPROVAR QUE ESTÁ VIVO

HOMEM DADO COMO MORTO PELA POLÍCIA SE APRESENTA NO FÓRUM PARA COMPROVAR QUE ESTÁ VIVO

Considerado morto em um confronto policial, a cerca de 30 km de Juara, José Bonifácio Nascimento de Barros, 34 anos, compareceu nesta quinta-feira (9) ao Fórum de Cuiabá para informar que não faleceu e que estava trabalhando na Capital. A Polícia Militar, que havia divulgado os nomes, informou por meio de nota que o equivoco ocorreu porque a identidade foi obtida por meio de documentos que estavam com os suspeitos.

O rapaz foi citado como um dos acusados de assalto ao Banco do Brasil, em Brasnorte. O caso aconteceu na última quarta-feira (8) e dois homens morreram durante perseguição e confronto com policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Os suspeitos foram socorridos, porém não resistiram aos ferimentos.

José Bonifácio e seu advogado, Marcelo Felício Garcia, compareceram ao Fórum para prestar esclarecimentos, pois ele cumpre pena em regime semiaberto e temia ser preso, novamente, pela acusação de envolvimento no delito ou ter o documento cancelado por conta do suposto óbito.

José cumpre pena há cinco anos por assalto a banco e deve comparecer mensalmente ao juízo para comprovar as atividades. Na ocasião das mortes dos foragidos da cidade de Brasnorte, o homem estava em Cuiabá trabalhando.

Um dos requerimentos da defesa é para que a autoridade policial e o Comando Geral de Brasnorte de Juara esclareça os fatos e explique o suposto envolvimento de José Bonifácio aos crimes citados.

O juiz Geraldo Fidelis, da Vara de Execuções Penais, acolheu a solicitação da defesa e as autoridades policiais civil e militar da Comarca de Brasnorte devem informar sobre os fatos e também para que dessa forma seja identificada a pessoa que faleceu que equivocadamente foi divulgada como como José Bonifácio Nascimento de Barros.

Confira nota

Kelton Richer da Silva Freitas, 28, e Cleyton Lins, 29, são as verdadeiras identidades dos dois suspeitos mortos na manhã de ontem (08) em uma área de mata no distrito de Catai, a cerca de 30 km de Juara, em confronto com policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

Os nomes divulgadores anteriormente surgiram a partir de documentos encontrados com os suspeitos. Inclusive há um terceiro nome, constando em carteira de identificado, que a PM não chegou a divulgar.
Com essas informações a PM esclarece o episódio no qual surgiram os nomes de José Bonifácio Nascimento de Barros, 34 anos, e Roney Matos de Oliveira, 22 anos, como sendo os mortos na troca de tiros.

Kelton e Cleyton são apontados como os dois homens que horas antes do confronto invadiram uma fazenda próxima de Juara, onde renderam uma família de três pessoas, casal e uma filha adolescente, e roubaram uma caminhonete, celulares, comida, roupas e cobertores.

Logo depois, quando a caminhonete ficou sem combustível, tentaram roubar uma motocicleta para prosseguirem na fuga. As partir dessas informações coorreu o confronto com os policiais do Bope que estavam na região reforçando as buscas aos assaltantes.

A dupla é apontada como integrante do bando que tentou roubar a agência do banco do Brasil de Brasnorte na madrugada última segunda-feira(06.08).

Outros suspeitos

Na segunda-feira, mesmo dia do roubo ao banco, policiais militares prenderam seis suspeitos: Janderson Jales da Silva, 23 anos, Eriely Cristina dos Santos Assis, 24, Weberton Bruno Mendes Soares, 31, Thiago da Silva Pacheco, 19, Alexandre Martins Oliveira, 23, e Pedro Rodrigues de Oliveira, também de 23 anos. Com eles, foram apreendidos mais de R$ 14 mil reais e 50 cheques, um deles no valor de R$ 30 mil, armas e munições.

Por: Juliana Alves

Redação com Hipernoticias  

Compartilhe: