Foto: Gilberto Leite DEPUTADO ELEITO JOÃO BATISTA E A DEMAGOGIA NOS ATAQUES AO GOVERNO DE MAURO MENDES

DEPUTADO ELEITO JOÃO BATISTA E A DEMAGOGIA NOS ATAQUES AO GOVERNO DE MAURO MENDES

Com a crise econômica sem precedentes no país e arrecadação reduzida, os gestores têm a cada dia buscado estratégias para tentar resolver os problemas financeiros. Em Mato Grosso, a crise demorou um pouco mais para chegar em relação a outros estados brasileiros, mas o governador Mauro Mendes que assumiu há sete dias o comando do estado, enfrenta a situação caótica das finanças.

E precisará juntar esforços para manter a folha salarial em dia; assim incrementou um escalonamento para tentar cumprir as obrigações. Ou seja, pior do que o servidor enfrentar uma escala temporária para receber seus vencimentos seria ficar sem o seu salário.

No entanto o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindispen), deputado estadual eleito João Batista (Pros), parece que ainda não percebeu que a campanha eleitoral terminou. Ele classificou como “calote” o atraso salarial. Ameaçando mobilização e greve ao recém-chegado governo de Mauro Mendes.

Ao que parece o deputado novato, perdeu uma grande oportunidade de fazer seu papel como cidadão no sentido de buscar soluções e não simplesmente fazer “barulho” com fins de promover seu futuro mandato. É obvio que o servidor têm o direito de receber seu salário em dia, no entanto dada as circunstâncias é preciso entender e absorver este momento crítico para todos. E ao invés de bravatas, temos a necessidade de que os parlamentares, o executivo e servidores encontrem uma solução pontual para a crise que se apresenta.

Vale lembrar, que o futuro deputado poderia apresentar assim que assumir sua cadeira na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), um projeto emergencial de economia, afinal caso não saiba; os deputados estaduais têm direito a verbas indenizatórias “astronômicas”. Sendo que a ALMT tem a maior verba indenizatória do país, com R$ 65 mil por deputado, e o “mais absurdo” é que os deputados mato-grossenses não precisam comprovar gastos para ter direito a essa verba.

Vejamos:

Salário dos deputados R$ 25.322, Gratificações, Auxílio moradia, Verba indenizatória R$ 65.000
Total para gasto pessoal R$ 90.322.

Verba de gabinete (para contratação de assessores) R$ 70.000. TOTAL (pessoal + gabinete) R$ 160.322(por deputado).

Exposto o relatório acima, segue como sugestão ao novato deputado que comece por ele a mudança que tanto deseja. Caso contrário fica difícil querer atirar pedra quando seu telhado é de vidro. Ou a declaração de calote foi mera demagogia?

Marreta neles!

Compartilhe: