BALEIA AZUL: O JOGO MORTAL QUE CHEGOU AO BRASIL

BALEIA AZUL: O JOGO MORTAL QUE CHEGOU AO BRASIL

Febre na Europa o jogo acende alerta dos pais no Brasil

O desafio da Baleia Azul, o jogo mortal que tem levado jovens a se matarem no exterior, virou um dos assuntos mais comentados dos últimos dias – especialmente entre os adolescentes.

No Facebook há pelo menos 13 grupos fechados de brasileiros relacionados ao Baleia Azul e, juntos, já somam quase 59 mil pessoas.

O Desafio da Baleia Azul foi criado na Rússia, mas já é praticado em grande parte da Europa. A “brincadeira” inclui tarefas como pular do alto de um prédio e desenhar uma baleia no braço com uma faca ou gilete.

Assista ao vídeo:https://youtu.be/TeAqLVdq6BQ

Ao todo são 50 desafios, sendo que o último é tirar a própria vida. Os desafios são lançados em grupos de Facebook, às 4h20 e os realizadores enviam fotos e vídeo para mostrar que a missão foi cumprida. No Brasil, dois deste grupo já foram criados e descobertos.

A primeira vítima do jogo, que se tem registro foi no ano passado, na Europa, quando uma jovem se jogou em frente a um trem para concluir a última missão do desafio.

O que os dizem especialistas?

A psicóloga, psicopedagoga e professora universitária Sylvia Flores é enfática ao decretar que os pais têm que ter voz ativa com os filhos e proibir certas atitudes, como passar noites em claro e virar o dia na frente de um videogame. “Os pais têm que lembrar qual é o papel deles, porque são crianças, adolescentes. Se for preciso, têm que pedir ajuda profissional”, pontua.

O delegado Frederico Abelha aconselha que os responsáveis monitorem todas as redes sociais dos menores. “Tem que checar as conversas no WhatsApp e os grupos de bate-papo. É importante saber que grupos seus filhos estão frequentando. Até porque destas conversas, o pai pode ter um indicativo da atitude do filho ou até descobrir uma coisa mais grave, como abuso sexual”, enfatizou.

 

Redação

 

 

Compartilhe: